Cidadeverde.com
Economia

PIB do Brasil cresce 2,9% em 2022, diz IBGE

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com 

A economia brasileira fechou o ano de 2022 com crescimento acumulado de 2,9%, conforme dados do PIB (Produto Interno Bruto) divulgados nesta quinta-feira (2) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Analistas consultados pela agência Bloomberg projetavam alta de 3% para o indicador.

No recorte do quarto trimestre de 2022, o PIB recuou 0,2% em relação aos três meses imediatamente anteriores, segundo o IBGE. Nessa comparação, analistas consultados pela Bloomberg esperavam variação negativa de 0,2%.

O ano passado foi marcado pelo fim das restrições da pandemia de Covid-19, o que estimulou a circulação de pessoas e o consumo de serviços. Também houve sinais de retomada do mercado de trabalho.

Além disso, o governo do então presidente Jair Bolsonaro (PL) adotou medidas de estímulo à atividade econômica às vésperas das eleições. Ampliação do Auxílio Brasil e cortes tributários sobre combustíveis fazem parte da lista.

Por outro lado, a elevação dos juros para conter a inflação criou uma trava para o crescimento econômico, sobretudo no segundo semestre, já que o crédito ficou mais caro a famílias e empresas.

Nesse cenário, analistas passaram a prever uma desaceleração do PIB a partir da reta final do ano passado. O movimento, dizem, tende a prosseguir em 2023, o primeiro ano do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Além dos juros elevados, o fôlego menor da economia global e a inflação persistente são apontadas como questões que devem inibir a atividade. A agropecuária, por sua vez, caminha para uma safra maior do que em 2022, o que tende a gerar alívio no PIB.

No acumulado de 2023, a alta esperada para a economia brasileira é de 0,84%, conforme a edição mais recente do boletim Focus, divulgada pelo BC (Banco Central) na segunda-feira (27). A publicação reúne estimativas de instituições financeiras.

Em fevereiro, a decisão do BC de manter a taxa básica de juros (Selic) em 13,75% ao ano motivou uma ofensiva de Lula contra o presidente da instituição, Roberto Campos Neto. O petista chegou a dizer que o patamar da Selic é uma "vergonha".

CÁLCULO DO PIB

Produtos, serviços, aluguéis, serviços públicos, impostos e até contrabando. Esses são alguns dos componentes do PIB, calculado pelo IBGE, de acordo com padrões internacionais. O objetivo é medir a produção de bens e serviços no país em determinado período.

O indicador mostra quem produz, quem consome e a renda gerada a partir dessa produção. O crescimento do PIB (descontada a inflação) é usualmente chamado de crescimento econômico.

O levantamento é apresentado pela ótica da oferta (o que é produzido) e da demanda (como esses produtos e serviços são consumidos). O PIB trimestral é divulgado cerca de 60 dias após o fim do período em questão.

 

Fonte: Folhapress (Leonardo Vieceli e Eduardo Cucolo) 

 

Imprimir