Cidadeverde.com

Haaland faz história com 5 gols e City avança às quartas da Liga dos Campeões

Imprimir

Erling Haaland é um fenômeno mundial e comprovou isso mais uma vez nesta terça-feira. Em atuação de gala do Manchester City no Etihad Stadium, o norueguês se igualou aos maiores artilheiros em uma única partida da Liga dos Campeões ao anotar cinco vezes em massacre sobre o RB Leipzig por 7 a 0.

O time inglês que previa sufoco para ir às quartas de final deu show e precisou de somente 23 minutos para encaminhar a vaga.

Com somente 23 anos, o atacante norueguês chegou aos 33 gols em 25 partidas disputadas na Liga dos Campeões - agora é o artilheiro isolado da atual edição, com 10 bolas nas redes. 

A façanha realizada no Etihad Stadium nesta terça-feira o faz igualar a marcas do argentino Messi e do brasileiro Luiz Adriano O argentino anotou cinco gols diante do Bayern Leverkusen, pela Barcelona, e Luiz Adriano, pelo Shakhtar Donetsk, diante do Bate Barisov.

O feito do camisa 9 não foi maior porque Pep Guardiola optou por preservá-lo. O técnico espanhol substituiu Haaland aos 17 minutos da segunda etapa. O atacante não curtiu muito a troca, mas deixou o campo ovacionado, sob aplauso ensurdecedor.

Guardiola havia brincado na segunda-feira que todo ano colocam o City entre os favoritos na Liga dos Campeões mesmo o time jamais erguido o título e justificou: "Devemos fazer algo de bom." Mas admitiu que o futebol apresentado devia ser melhor diante de Leipzig. Nesta terça sua equipe mostrou que está bastante forte na disputa pelo inédito troféu.

Os jogadores do City cumpriram à risca as orientações do chefe. Em blitze inicial, foram logo três boas chances criadas com Gundogan, Haaland e Grealish, inflamando o estádio. A pressão grande se fez valer no placar na metade da etapa. Em dose dupla, no início do show particular de Haaland.

Em intervalo de dois minutos, o centroavante garantiu vantagem gigante aos ingleses. Aos 22, o goleador cobrou com categoria um pênalti bastante questionável a bola bateu sem querer no braço de Henrichs, bastante desolado com a marcação polêmica. Aos 23, De Bruyne mandou uma bomba no travessão e o artilheiro apareceu livre para empurrar às redes e abrir 2 a 0.

Os alemães tinham de buscar uma reação improvável para sobreviver na competição. Além de um forte rival pela frente e a desvantagem de dois gols, a neve que caía em Manchester era obstáculo a mais pela frente. O jogo era disputado com temperatura bastante baixa, com 3° nos termômetros e sensação negativa.

O Leipzig não conseguia chegar ao gol de Ederson e ainda via os ingleses darem enorme trabalho a seu goleiro. Blaswich impediu o hat-trick de Haaland aos 32 minutos com mais uma defesa complicada.

Já na reta final, em erros do City, o Leipzig, enfim, apareceu na frente. Primeiro com saída da área equivocada da área de Ederson e depois com o zagueiro Rúben Dias entregando de presente e Timo Werner não alcançando para diminuir.

O zagueiro se redimiu ao aparecer na frente nos acréscimos. O defensor cabeceou na trave e a bola correu na risca. O defensor tentou afastar e mandou em cima de Haaland, que assumiu a artilharia da competição. O norueguês comemorou apontando para o português, 'dividindo' o gol.

O segundo tempo nem bem começou e lá estava o City celebrando mais um vez. A vitória que já estava garantida se transformou em goleada com batida cruzada do capitão Gundogan. 

Os alemães estavam entregues, sendo massacrados, e levaram o quinto e o sexto rapidamente, ambos dos pés de Haaland. Ele fez de pé esquerdo e depois, de direita, chegando a impressionantes 39 bolas nas redes adversárias na temporada.

O City tirou o pé após anotar o sexto gol, sobretudo com a saída de boa parte de seus principais jogadores. Guardiola resolveu preservar Haaland, Grealish, Gundogan, Rodri e Jones, evitando lesões desnecessárias. 

Mas ainda deu tempo para De Bruyne fechar a noite mágica do City com belo gol noas acréscimos. Agora o time aguarda o complemento das oitavas e o sorteio de sexta-feira para saber quem vai encarar nas quartas.

INTER AVANÇA NO SUFOCO

A Inter de Milão sofreu bastante, mas aguentou a pressão do Porto no Estádio do Dragão para voltar às quartas da Liga dos Campeões, após 12 anos, com empate sem gols. A equipe italiana se prevaleceu da vitória por 1 a 0 em Milão.

O Porto pressionou bastante nos primeiros 45 minutos atrás do gol que deixaria a série igual. Mas esbarrou em boas defesas de Onana ou falhou na pontaria. Os italianos tiveram um ótimo contragolpe e Dzeko bateu nas mãos de Diogo Costa.

A segunda etapa seguiu na mesma tônica, com os italianos totalmente postados na defesa sem vergonha de defender a vantagem mínima. Os sete minutos de acréscimos foram com o Porto inteiro na área ofensiva, em bombardeio gigantesco.

Teve chance de bicicleta raspando, duas bolas na trave e defensor tirando a bola em cima da linha após Onana ser superado Herói, o goleiro salvou a primeira cabeçada de Taremi ao espalmar na trave. 

Logo depois, ficou na torcida e viu o atacante parar no travessão. O técnico Sérgio Conceição, do time português, queria briga no apito final, mas foi contido e a dramática classificação foi bastante festejada pelos italianos.

Fonte: Estadão Conteúdo

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais