Cidadeverde.com
Esporte

Grêmio empata e coloca Brasil na final da Libertadores

Imprimir
O Grêmio fez o mínimo necessário e conseguiu a classificação para a semifinal da Libertadores da América. Nesta quarta-feira, em casa, a equipe pressionou, mas não saiu do 0 a 0 com o Caracas. Como o primeiro confronto, na Venezuela, havia sido 1 a 1, o gol fora de casa garantiu a vaga na próxima fase. A equipe gaúcha espera agora o vencedor de São Paulo e Cruzeiro, que se enfrentam nesta quinta-feira, colocando o país na final da competição.



Cada vez mais perto da tão sonhada conquista, o Tricolor chega à sua sétima semifinal. As outras vezes em que chegou a essa fase foram em 1983, 1984, 1995, 1996, 2002 e 2007.

O Grêmio entrou em campo disposto a fazer logo o gol que daria tranquilidade, mas avançava com cautela em busca de um buraco na defesa venezuelana. Um lance aos 12min ilustrava o nervosismo do Caracas: após um balão da defesa gremista, Cichero errou a cabeçada, Vega saiu do gol, dividiu com Souza, e no rebote Maxi López tentou de longe, mas a bola saiu alta demais.

O árbitro Carlos Torres marcava muitas faltas, tornando o jogo truncado. Depois de segurar a pressão inicial, o Caracas saía para o ataque, e arriscava em chutes de média distância. O Tricolor tinha o controle e tocava a bola sem pressa, mas até o intervalo, não conseguiu criar nenhum lance de perigo.

Apesar de o 0 a 0 ser suficiente para a classificação, o volante Túlio mostrava preocupação na ida para o vestiário. "É um resultado inseguro, tem que atacar para ter uma tranquilidade maior. Mas antes de ir para frente tem que acertar mais passes", alertou.

Pouca coisa mudou no começo da etapa complementar. O Grêmio dominava e tinha posse de bola, mas não conseguia criar nenhuma chance real para abrir o placar. Do outro lado, o Caracas se fechava atrás e tentava encaixar um contra-ataque. O técnico Paulo Autuori colocou em campo Herrera (no lugar de Alex Mineiro), na tentativa de dar mais movimentação à equipe.

Com espaço pela direita, o Tricolor insistia nos cruzamentos, mas o Caracas se retrancava bem e não tinha pressa para tentar o gol, o que curiosamente deixava os donos da casa nervosos. No final da partida, foi o Grêmio quem recuou e passou a administrar o 0 a 0. Aos 39min, os venezuelanos quase conseguiam a classificação num escanteio em que Barone, livre no segundo pau, cabeceou para fora. Foi a última chance da partida. Como ninguém balançou as redes, o time brasileiro conseguiu a classificação.

GRÊMIO 0 X 0 CARACAS

Grêmio
Marcelo Grohe; Ruy, Léo, Réver e Fábio Santos; Adílson, Túlio, Tcheco e Souza; Alex Mineiro (Herrera) e Maxi López
Técnico: Paulo Autuori

Caracas
Renny Vega; Romero, Rey, Barone e Gabriel Cichero; Luís Vera, Lucena, Gomez (Prieto) e Darío Figueroa (Guerra); Castellín e Rentería (Valoyes)
Técnico: Noel Sanvicente

Data: 17/6/2009 (quarta-feira)
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Público: 40.127 pessoas
Renda: R$ 821.862,00
Árbitro: Carlos Torres (PAR)
Auxiliares: Rodney Aquino (PAR) e César Franco (PAR)
Cartões amarelos: Rentería, Figueroa, Gomez, Castelín (Caracas); Maxi López, Souza (Grêmio)


Fonte: Uol
Tags:
Imprimir