Cidadeverde.com
Política

Câmara proporá isenção de IPTU para terreiros em Teresina

Imprimir
Fotos: Yala Sena/Cidadeverde.com
 
Roupas brancas, tambores e cantoria. A Câmara dos Vereadores de Teresina, virou um centro de umbanda nesta sexta (19) por conta da audiência pública solicitada pela vereadora Rosário Bezerra (PT). Na ocasião a parlamentar afirmou que proporá à Casa a isenção de IPTU para os terreiros, assim como ocorre com os templos católicos.


 
A vereadora anunciou ainda que solicitará aposentadoria dos seguidores de religiões de matriz africana junto ao INSS além de políticas de saúde e habitação.
 

 

Para a mãe-de-santo, Ester de Iansã (foto), cujo nome de nascimento é Maria do Desterro Alves de Sena, esta reivindicação é antiga. “Além desta isenção, estamos pedindo para acabar com descriminação aos terreiros. Queremos ter lugar para nos encontrar e reunir com os frequentadores”, descreve a ialorixá que tem seu centro no conjunto Dirceu. Segundo ela há pelo menos uma centena de terreiros na região.
 

 
Ao subir na tribuna, Ester afirmou que há praticantes de religiões de matriz africana em todos os campos da sociedade. “Nós somos gente do bem. Existem médicos, advogados, hoje a umbanda tem outra cara”, afirma.
 


 
Alcir Marcos, da Coordenadoria dos Direitos Humanos, já existe em Teresina um trabaho de combate à intolerância religiosa. “Existe muito preconceito (para com as religiões africanas). Os frequentadores são considerados macumbeiros e isso virou estigma negativo”, segundo Marcos, foi realizado um mapeamento que apontou mais de 300 terreiros de umbanda ou candomblé em Teresina. “É curioso o Piauí ser um estado católico e ter mais terreiros que Igrejas”, analisa. Para ele, os terreiros apresentam um patrimônio cultural muito grande e são a memória de um povo.
 
Flash de Yala Sena
Redação Carlos Lustosa Filho
Tags:
Imprimir