Cidadeverde.com
Geral

Pai denuncia negligência médica na morte do filho em hospital

Imprimir
O auxiliar de serviços gerais Francisco Farias Vaz, denuncia que seu filho morreu no Hospital Infantil Lucídio Portela vítima da negligência. Daniel  Farias, de 12 anos, estava doente há 1 ano e 4 meses, sem que os médicos tivesses certeza do diagnóstico, segundo o pai. Ele sofreu seis internações no hospital durante esse período.
 

 

No dia 16 de maio ele foi internado com inchaço pelo corpo, febre e vômito. Os médicos o submeteram a uma cirurgia para a retirada de quatro glândulas no intestino porque imaginavam que fosse câncer, de acordo com Francisco Vaz.  Depois, foi feita uma tomografia, evidenciando que ele não tinha câncer, mas sim uma infecção.
 

 

O pai ainda tentou retirar o filho do hospital e levá-lo para Ribeirão Preto, mas não obteve permissão porque ele estava na UTI. No dia 13 de junho, então, Daniel faleceu. O atestado de óbito indica que a morte foi ocasionada por uma diarréia crônica e uma doença chamada “sara”.
 

 

Segundo o pai, a cada vez que o filho tinha alta das seis internações, não era passada nenhuma dieta, tão pouco medicação. Quando ele retornava para ser internado novamente, o prontuário da internação anterior já não existia.

 

Nesse tempo todo de internações, Francisco Farias Vaz afirma que presenciou a morte de mais cinco crianças nos leitos do Hospital Infantil.
 

 

O pai afirma que as crianças são cobaias dos estudantes de medicina que estagiam no local. “Passei três meses no hospital e vi cinco crianças morrerem. Uma delas estava com calazar e o hospital estava tratando como se fosse doença do coração. Lá só tem acadêmico. As crianças são cobaias”, indigna-se o pai.
 
Procurada para comentar o caso, a secretaria de Saúde informou que vai apurar os fatos somente quando a denúncia for feita normalmente para abertura formal de proceidento interno.

 

Caroline Oliveira (flash)

Leilane Nunes (redação)

[email protected]

Tags:
Imprimir