Cidadeverde.com

Marcelo Castro é reconduzido à presidência estadual do MDB que projeta eleger 70 prefeitos

Imprimir
  • MDB_(1).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(2).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(3).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(4).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(5).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(6).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(7).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(8).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(9).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(10).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(11).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(12).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(13).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com
  • MDB_(14).jpg Renato Andrade/Cidadeverde.com

Por Paula Sampaio 

O senador Marcelo Castro foi reconduzido à presidência estadual do MDB. A chamada convenção do partido aconteceu, na manhã desta segunda-feira (10), na sede da sigla em Teresina com a presença de lideranças de diversos municípios. 

“Eu tenho muito orgulho de estar nesse partido, me filiei nele em 1980, estou com 42 anos de MDB, e venho sendo reconduzido à frente da presidência do partido em substituição do grande político e maior governador do Piauí, que foi Alberto Silva”, declarou. 

Marcelo Castro adiantou avaliação sobre as eleições estaduais de 2026. Para ele, a dobradinha entre estaduais e federais do MDB e PSD ainda não é certa. Mas, caso aconteça, os emedebistas é quem vão indicar os nomes que vão disputar a Câmara Federal. 

“Isso decretou a sobrevivência dos dois partidos. Essa fórmula funcionou [em 2022]. Vai funcionar em 2026? Vamos ver. Se funcionar, temos a preferência para inverter, os deputados federais vão para o MDB e os estaduais vão para o PSD”, disse.

Conforme apurou o Cidadeverde.com, a dobradinha em 2022 teve os seus pontos positivos para o MDB: a garantia da eleição de dois nomes ligados ao núcleo duro da sigla, Castro Neto (PSD) e Marcos Aurélio Sampaio (PSD), além de uma ampla bancada de nove parlamentares na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), garantindo a permanência do grupo na sucessão da presidência. 

Mas, como ponto negativo, deputados tem reclamado da perda de recursos pelo fato do MDB não ter nenhuma representação na Câmara Federal no Piauí. 

70 prefeitos em 2024

O partido segue brigando por espaço e projeta uma meta ousada para as eleições de 2024. Ouvido pela reportagem, o vice-governador Themístocles Filho (MDB) disse que o MDB vai eleger 70 prefeitos em municípios piauienses. 

“Eu acho que o MDB vai fazer mais de 60 prefeitos no estado do Piauí. E, claro, também na capital nós temos uma aliança com o PT, MDB e PT, Fábio Novo. E acredito que o Fábio Novo vencerá as eleições da capital no primeiro turno entre 55 a 58% dos votos”, avaliou. 

Sempre emedebista 

Quem não deixou de comparecer à convenção do MDB foi o ex-ministro João Henrique Sousa, secretário de Planejamento. Mesmo apoiando a reeleição do prefeito Dr. Pessoa em Teresina, segue com bom trânsito e relações amistosas com os emedebistas. Nesta manhã, depositou o voto na urna e trocou cumprimentos com Marcelo Castro.

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais