Cidadeverde.com
Política

Marina Silva assina ficha de filiação ao PV

Imprimir

Com discurso de candidata, propondo união e militância para mudar o país, a senadora Marina Silva encerrou a cerimônia de sua filiação ao Partido Verde (PV) em São Paulo. O evento de filiação foi transmitido pelo site do PV.

Marina lembrou da infância no Acre, das dificuldades no início de sua formação política incentivada pela Igreja Católica, quando ainda era "uma menina", e terminou o discurso lembrando o principal slogan de campanha de Barack Obama, presidente dos EUA: "É isso que faz a mudança", afirmou.

Entre as pessoas que abonaram a ficha de Marina, estava Elenira Mendes, filha de Chico Mendes, o líder seringueiro assassinado em 1988. A plateia recebeu a filiação de Marina com gritos de "Brasil urgente, Marina presidente".

O deputado federal Fernando Gabeira (RJ) defendeu em discurso na cerimônia de filiação ao PV da senadora Marina Silva (AC), que o partido destaque na discussão de seu novo programa, além das questões ambientais, três pontos que ele considera fundamentais: saneamento básico, violência urbana e ética na política.

"Hoje temos no País um governo moralmente frouxo, temos um Congresso apodrecido e um Supremo Tribunal Federal em princípio de decomposição com a decisão tomada nesta semana", afirmou, referindo-se à posição do Tribunal favorável ao deputado federal Antonio Palocci (PT-SP) no caso da quebra de sigilo do caseiro Francenildo dos Santos Costa. Gabeira ressaltou que o PV não deve ter receio de ser acusado de utilizar um discurso udenista. "Muita gente fala que falar de ética na política é coisa da UDN", argumentou. "Mas em 2002 apoiamos o PT e foi pela ética na política."

Gabeira lembrou que 9 milhões de crianças no Brasil vivem sem saneamento básico e disse que o partido precisa apresentar também uma proposta para reduzir a violência no País. "O PV tem de dizer alguma coisa sobre a violência urbana, tem de propor um caminho", cobrou.

Ao dar as boas-vindas à senadora Marina Silva, Gabeira voltou a citar a necessidade da ética na política e da importância da liberdade do debate de ideias. "A entrada da senadora Marina Silva no PV introduz a 'cláusula de consciência' no nosso programa", disse. "O partido jamais vai violentar a consciência de qualquer militante. Seremos um partido rigoroso com os desvios, mas seremos tolerantes com a consciência humana, que é a luz que manterá o partido vivo."
 
 

Fonte: Agência Estado

 

Tags:
Imprimir