Cidadeverde.com
Geral

Ouvidoria apura casos de assédio sexual e moral

Imprimir
A Ouvidoria Geral do Estado está apurando crimes de assédio moral ocorrido dentro da Secretaria Estadual de Saúde e assédio sexual contra uma professora em uma escola pública de Teresina.
 
Foto: Yala Sena/Cidadeverde.com
Edilberto Borges acompanha os casos na Ouvidoria
 
As denúncias foram protocoladas, pessoalmente, pelas pessoas que foram vítimas dos crimes de assédio dentro de órgãos públicos. Segundo o ouvidor geral do Estado, Edilberto Borges, a investigação está ocorrendo sob sigilo para não expor as vítimas.
 
Ele disse que comunicou o caso ao secretário de Segurança pública, Robert Rios, e os secretários Assis Carvalho (Saúde) e Antônio José Medeiros (Educação).
 
“Já pedimos providências dos gestores para que o caso não fique impune. Se não houver solução a Ouvidoria abrirá inquérito administrativo”, disse Dudu.
 
A Ouvidoria Geral já recebeu mais de 10 mil manifestações desde que foi criada. As maiores queixas são dos serviços da secretarias de Saúde, Educação e Segurança Pública.
 
“São queixas desde assédio moral e sexual, até mal atendimento, processos emperrados e despejos”, disse Dudu. Ele disse que a Ouvidoria já conseguiu reverter despejos no povoado Santa Teresa com mais de 300 famílias.
 
Drogas
A Ouvidoria recebeu até denúncias de bocas de fumo e constatou as irregularidades em Teresina e Pedro II. Nos dois municípios, a Delegacia de Repreensão a Entorpecentes foi acionada.
 
Como denunciar
A queixa do servidor e do público pode ser feita através da internet (www.ouvidoriageral.pi.gov.br) ou na central de atendimento no 08002805000. A denúncia pode ser feita pessoalmente na Ouvidoria (rua Paissandu, 2116, centro sul).
 
“Comunicamos as denúncias e queixas aos secretários e o chefe imediato. Eles têm um prazo de cinco dias, dependendo do caso, para dar uma posição”, disse Dudu.
 
Flash Yala Sena
[email protected]
Tags:
Imprimir