Cidadeverde.com
Entretenimento

"Atuar é sempre desconfortável", diz Jim Carrey

Imprimir

É possível ver os pelinhos brancos na ponta do nariz adunco de um Jim Carrey velho e enrugado em "Os Fantasmas de Scrooge", que chega amanhã aos cinemas do país. Em "I Love You Phillip Morris", que tem exibição hoje na Mostra de SP, o que dá para ver são os músculos definidos do ator, em cenas de sexo com outros homens.

Os atores Ewan McGregor e Jim
Carrey em cena do filme "I Love
You Phillip Morris"
 
É essa habilidade para se desdobrar em caretas e personagens --muitas vezes estereotipados-- que faz o canadense ser amado ou odiado desde que se destacou em filmes como "O Máskara", em 1994. E que o levou a ser esnobado pelo Oscar mesmo nas duas atuações que lhe renderam o Globo de Ouro --por seus papéis em "O Show de Truman" (1998) e "O Mundo de Andy" (1999).

Em "Os Fantasmas de Scrooge", novo longa de Robert Zemeckis, Jim Carrey a bem da verdade conta com uma mãozinha extra para se multiplicar.

A exemplo do que fez em "A Lenda de Beowulf" (2007), Zemeckis recorreu, no novo filme, ao 3D e à tecnologia chamada de "performance capture", que capta movimentos dos atores por computador, numa espécie de animação hiperrealista.

Com ajuda dela, Carrey passa a maior parte do tempo na pele do protagonista magricelo e corcunda da clássica trama natalina de Charles Dickens --na qual um velho avarento recebe a visita de fantasmas que o fazem repensar suas atitudes.

O ator de 47 anos também vive, no filme de Zemeckis, o personagem quando criança pequena, adolescente, jovem e adulto, além de interpretar os três espíritos que o atazanam ao longo da trama. "O impressionante sobre Jim é que ele pode fazer qualquer coisa funcionar", disse Zemeckis, em entrevista à Folha.

No caso de Scrooge, não é pouca coisa. Entre filmes e especiais para televisão, a história já foi adaptada mais de 40 vezes, com atuações de Michael Caine, Bill Murray, Mickey Mouse e Mr. Magoo, só para ficar em algumas das mais conhecidas.

Em entrevista a um grupo de jornalistas em Los Angeles, Carrey diz que o que faz "qualquer coisa funcionar" é justamente a tecnologia que Zemeckis explora. "É um sonho virando realidade, desafiador em todos os sentidos. Você usa tudo o que tem, é como manipular marionetes", compara, embora admita ter ficado "desconcertado" por ter de criar, na cabeça, cenários que só depois seriam feitos por computador.

Apesar de todas as transformações, para Carrey "atuar é sempre desconfortável". "Estou sempre nesse estado de desconforto, nunca satisfeito."

O Scrooge vivido pelo ator deixa a ver navios personagens menores da trama, como o Fred de Colin Firth. Questionado pela Folha sobre se a "performance capture" não é mais favorável a personagens caricatos que a naturais, como o dele, Firth torce o nariz: "Não tem nada a ver com a tecnologia. Isso era a minha atuação..."

A jornalista RAQUEL COZER viajou a convite da Disney.
 
 
OS FANTASMAS DE SCROOGE
Produção: EUA, 2009
Direção: Robert Zemeckis
Com: Jim Carrey, Colin Firth
Quando: estreia amanhã nos cines Eldorado, Villa-Lobos e circuito (livre)
 
 
 
Fonte: Folha Online
Tags:
Imprimir