Cidadeverde.com
Esporte

Palmeiras faz reunião de 2h para 'lavar roupa suja'

Imprimir
O Palmeiras teve um treinamento diferente nesta sexta-feira, com muito papo e pouca atividade. Os jogadores participaram de uma reunião fechada com a diretoria e a comissão técnica por duas horas para tentar abafar a crise nas últimas rodadas do Brasileiro. O tom da conversa foi de cobrança e ameaça de punições dos dirigentes em caso de novas polêmicas.

"O que aconteceu foi inadmissível, um absurdo, uma vergonha [briga entre Maurício e Obina na quarta-feira]. Enquanto estivermos aqui, isso não vai acontecer. E quem não gostou pode ir embora. Não vamos tolerar esse tipo de coisa. Também queremos que parem as discussões públicas e as acusações. Se teve alguém que não gostou, é só passar na minha sala e ir embora", esbravejou o gerente de futebol, Toninho Cecílio.

A princípio, nenhum jogador daria entrevistas até a próxima semana, mas após o encontro, o volante Pierre falou com a imprensa. "A diretoria nos passou sua visão do que aconteceu e agora o momento é de dar as mãos. Vamos nos unir nesse fim de Brasileiro", minimizou o camisa 5.

Segundo o gerente de futebol alviverde, a diretoria precisa mostrar "pulso firme" para controlar a situação. Além da troca de agressões entre Maurício e Obina, atletas como Marcos e Danilo deram declarações polêmicas após o duelo contra o Grêmio, revelando um "racha" dentro do elenco.

"O que aconteceu foi um caso isolado. Os dois jogadores se exaltaram nas declarações. Era algo que deveria ser falado diretamente com os companheiros e não colocado em público. Por isso fizemos essa reunião, para corrigir o que entendemos que foi um desvio da equipe. Queremos restabelecer o espírito do grupo", completou Cecílio.

O clima na reapresentação dos jogadores foi de tensão após a derrota de quarta-feira no estádio Olímpico. O clube aumentou o número de seguranças no centro de treinamento e contou até com viaturas policias para proteger o local, mas apenas poucos torcedores fizeram protesto na entrada da Academia, de maneira discreta.

A expectativa da diretoria é que as manifestações aumentem no decorrer da semana devido à queda de rendimento da equipe, que somou apenas seis pontos dos últimos 27 disputados no Brasileiro.

Fonte: Uol
Tags:
Imprimir