Cidadeverde.com
Entretenimento

Escritor Julio Romão recebe título da UFPI de Doutor Honoris Causa

Imprimir

“Nessa vida o que importa é seguir as coisas boas”. Aos 93 de idade, foi assim que Júlio Romão da Silva definiu os anos de sua vida dedicados às letras. Jornalista, escritor, poeta, etnólogo e pesquisador durante muitos anos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Julio Romão é teresinense, afro-descendente nascido de família humilde e que desde cedo buscou nas letras o caminho para a ascensão.


Com uma vida intelectual ligada à luta do Movimento Negro no Brasil, Romão possui obras nas áreas de Poesia, Teatro, História, Lingüística, Geografia, Jornalismo e Biografias. Ele receberá, no próximo dia 5 de outubro às 19 horas, através da Universidade Federal do Piauí (UFPI), o título de Doutor Honoris Causa, condecoração que reconhece a existência de pessoas que se distinguem pelo saber ou pela atuação em prol das artes, das ciências, da filosofia, das letras e do melhor entendimento entre os povos.


Julio Romão foi conferencista, palestrante e atuou ainda na formação de organizações negras, atividade referenciada na recente obra “Histórias do Movimento Negro no Brasil, organizada por Verena Albert, historiadora e pesquisadora do CPDOC da FGV no Rio de Janeiro, e por Amilcar Araujo Pereira, historiador e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro.


O livro é resultado de uma pesquisa desenvolvida entre 2003 e 2007, no Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil [CPDOC] da Fundação Getúlio Vargas, com o objetivo de formar um banco de entrevistas com lideranças do movimento negro no Brasil a partir das décadas de 1970 e 1980 em todas as regiões do país.


Bom de prosa e dono de uma invejável humildade, Julio Romão conta, entre sorrisos, que o amor a língua é algo que esteve presente em toda a sua vida. “Nossa língua é a cabocla, é o tupi. Viajei por todo esse país e o que tenho a dizer é que o aprendizado é nossa maior riqueza”, destacou o escritor.


A Professora Doutora Áurea Pinheiro, que solicitou à UFPI o reconhecimento e entrega do título à Júlio Romão, ressalta que “a história de vida, a contribuição social e intelectual de Júlio Romão da Silva fazem esse homem um profundo merecedor do título de Doutor Honoris Causa”.


TÍTULO
A solenidade de entrega do título Doutor Honoris Causa a Júlio Romão da Silva acontece no próximo dia 05 de Outubro, no Espaço Rosas dos Ventos, na Universidade Federal do Piauí. O escritor também será homenageado na Segunda Edição do Congresso Internacional de História e Patrimônio Cultural que acontece entre os dias 11 e 15 de Outubro, na UFPI. O evento abre espaço para discussão de diversas áreas do conhecimento. As pesquisas a serem apresentadas têm como mote norteador cultura, identidades, memória, história, antropologia, arqueologia, meio ambiente, políticas públicas, educação, formação de professores, cidade, patrimônio cultural, gênero, juventude, imprensa e folkcomunicação. Mais informações podem ser obtidas no site www.anpuhpi.org.br/congresso
 

BIOGRAFIA
Julio Romão cursou o primário no Grupo Escolar Demóstenes Avelino, ingressou na Escola dos Aprendizes Artífices de Teresina, onde foi diplomado em marcenaria (1936). Em 1937, mudou-se para o Rio de Janeiro e continuou seus estudos. Fez curso ginasial intensivo no Colégio Matos; Bacharelou-se em Filosofia pela extinta Universidade do Brasil. Em 1952, na Imprensa Carioca, atuou como repórter político, cronista e crítico literário nos jornais Diário de Notícias, Correio da Manhã e no Jornal do Comércio. Foi um dos fundadores do Teatro Experimental do Negro, do Teatro Popular e da Orquestra Afro-Brasileira. É Livre Docente de Ciências Humanas e Sociais [lingüística e etnologia aborígine] no Curso de Altos Estudos Amazônicos do Instituto Rondon, vinculado ao IBGE, conveniado com a Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra e a Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 
OBRAS DE JÚLIO ROMÃO
 
Os Escravos: dramatização de Vozes d’África [centenário de Castro Alves, 1947].
O Golpe Conjurado [sátira política, 1950].
O Golpe Conjurado [sátira, 1950].
A Parábola da Ovelha [ciclo bíblico I, 1963].
José, o Vidente [saga dramática de Israel, 1963].
A Mensagem do Salmo [ciclo bíblico II, 1967].
ZumboZumbo [o Brasil pelo folclore, 1967].
A Epopéia Brasileira.
O Monólogo dos Gestos [auto, 1968].


[email protected]

Imprimir