Cidadeverde.com
Esporte

Patrícia dá o troco e critica CBF por derrota na África do Sul

Imprimir
A briga entre Ricardo Teixeira e Patricia Amorim parece não ter trégua. Depois de o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) ter rebatido as críticas da mandatária do Flamengo afirmando que ela deveria "falar menos e fazer mais", nesta quinta-feira Patrícia não perdeu tempo e respondeu à altura, lembrando que a Confederação Brasileira de Futebol também andou mal das pernas em 2010 com a campanha fracassadas na Copa do Mundo da África do Sul.



“Realmente o ano não foi dos melhores para o Flamengo, assim como não foi para a Confederação Brasileira de Futebol. Além disso, a CBF já teve outras temporadas bem piores [1990, 1998 e 2006], mas nada como um ano após o outro” disse, através de sua assessoria de imprensa.

Mas apesar do bate boca não ter fim, Patrícia afirmou que não irá desistir de ver reconhecido o título brasileiro de 1987: “O Flamengo não medirá esforços para obter o reconhecimento do título conquistado dentro do campo, não nos bastidores do futebol brasileiro”, finalizou.

A mandatária do Flamengo enxerga uma possível motivação pessoal na atitude de Ricardo Teixeira em não considerar o título da Copa União de 1987 como título brasileiro. Na última eleição para a presidência do Clube dos 13, o presidente da CBF apoiou o candidato Kléber Leite. Patricia, por sua vez, deu seu voto ao adversário Fábio Koff.

A polêmica sobre o não reconhecimento do título da Copa União de 1987 está apenas começando. Nesta quinta, o Flamengo divulgou nota oficial sobre o caso. No comunicado, o clube ressalta que "o fato da CBF ditribuir, generosamente, títulos nacionais a diversos clubes, reconhendo torneios disputados há décadas", sem fazê-lo "somente em relação ao Flamengo" causa estranheza.

Os cariocas também reclamam dos dois títulos conquistados pelo Palmeiras no mesmo ano, em 1967, quando o time paulista venceu Taça Brasil e Torneio Roberto Gomes Pedrosa.

O clube ainda contesta que equipes tenham se sagrado campeãs brasileiras disputando só quatro jogos e não poupa ironia para falar sobre o presidente da CBF, que se apega a uma antiga decisão judicial para justificar sua decisão.

"O justo reconhecimento do Flamengo como legítimo campeão de 1987, não traduz desrespeito à decisão judicial, não se justificando o temor do Sr. Ricardo Teixeira de ser preso, e se vier a sê-lo certamente não será por esta causa".



Fonte: IG
Imprimir