Cidadeverde.com
Política

Prefeito de Caracol é preso com R$ 40 mil; Dó Bacelar se entrega

Imprimir
O prefeito de Porto, Domingos Bacelar de Carvalho, o Dó Bacelar (PMDB), se apresentou no final da tarde desta quarta-feira (19) à Polícia Federal do Piauí. Ele tinha mandado de prisão expedido para a Operação Geleira, deflagrada hoje contra gestores e empresários, todos acusados de desvio de recursos destinados à aquisição de medicamentos e merenda escolar. 

Foto: Jornal Esp
Dó Bacelar, prefeito de Porto, se apresentou no final da tarde

O advogado do prefeito comunicou por volta de 12h que Dó Bacelar iria se apresentar espontâneamente, o que ocorreu por volta de 17h, segundo o delegado José Olegário Pereira Nunes. Ele presta depoimento na noite de hoje, antes de ir para o IML e ser encaminhado para a Major César. 

Veja quem são os outros prefeitos presos

Foto: Agricolândia News
Prefeito de Miguel Leão - Bismarck Santos de Arêa Leão (PTB)

Foto: Notícias de Uruçuí
Prefeito Uruçuí - Valdir Soares da Costa (PT)

Prefeito de Caracol - Isael Macedo Neto (PTB)

Eliseu Martins - Teresinha de Jesus Miranda Dantas Araújo (PSDB)
Ribeira do Piauí - Jorge de Araújo Costa (PTB)
Landri Sales - Joedison Alves Rodrigues (PTB)

A PF também deu por encerradas as buscas por hoje. Foram cumpridos os 84 mandados de busca e apreensão e 30 de prisão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. De acordo com o delegado Janderlyer Gomes de Lima, muitas vistorias nos imóveis reforçam as interceptações telefônicas e confirmam acusações de fraude. 

Yala Sena/Cidadeverde.com

Janderlyer Gomes, delegado da PF/PI

O delegado informou que foram achados na casa do prefeito de Caracol, Isael Macedo Neto, cerca de R$ 40 mil. Ele teria alegado estar juntando dinheiro do seu salário. 

Também foram apreendidos cinco carros em Teresina, do Uno à Hilux, e outros que continuarão no interior. 




Janderlyer disse ainda ter achado estranho pessoas terem se apresentado e prestado depoimentos mesmo sem estarem com mandado de prisão em aberto. Ainda não existe nenhum caso de acusado que possa ser beneficiado por delação premiada - redução da pena por contribuição com as investigações. 


Empresários do setor de medicamentos são a maioria entre os presos. Os que possuem curso superior e diploma, vão passar a noite em celas especiais da penitenciária Major César Oliveira. 


Yala Sena (flash da PF)
Fábio Lima (Da Redação)
Imprimir