Cidadeverde.com
Geral

Bombeiros e PMs querem equiparar salários com a Polícia Civil

Imprimir
Mais de mil policiais militares e bombeiros participaram na tarde desta sexta-feira (8) de reunião na Associação de Cabos e Soldados, onde foi discutida a proposta de reajuste salarial que será levada para o Governo do Piauí. As categorias querem que seus vencimentos sejam equiparados aos dos policiais civis. 

Fotos: Helder Souza / Cidadeverde.com

Em defesa do movimento "Isonomia Já", a soldado Márcia Oneide pediu a palavra na reunião e disse que é preciso mudar o destino e tornar as categorias reconhecidas e valorizadas. Ela lembrou que um soldado ganha hoje R$ 1.405,37, enquanto o agente de 3ª classe da polícia civil tem R$ 2.527,02 de vencimentos. Outra diferença salarial é percebida entre um coronel (R$ 8.869,42) e um delegado classe especial, bacharel em Direito (R$ 10.780,83).


PMs e bombeiros reivindicam valorização profissional, isonomia salarial, entrada de profissionais com nível superior, subsídios e condições de trabalho. Além de Teresina, trabalhadores de Floriano, Piripiri, Campo Maior, Parnaíba e outros municípios participaram da reunião. Alguns levaram até a família.


O vereador de Teresina R. Silva (PP), que é policial militar, discursou: "Chega de lutarmos por gratificações. Temos que lutar pelo vencimento básico igual ao da Polícia Civil. Por que somos tratados diferentes? Temos que ter um vencimento a base de subsídios. Não precisamos de elogios, e sim de salário", disse o parlamentar, que chegou a falar em paralisação caso os pleitos não sejam atendidos. 


Presidente da Associação dos Oficiais da PM/PI, o capitão Evandro Rodrigues disse que a medida mais drástica seria a "polícia legal", que significa a recusa dos policiais em realizarem serviços que recaiam em ilegalidade, como dirigir veículos sem placa, por exemplo. Ele também apresentou outra proposta de reauste. "A isonomia é um pedido forte porque nós estariamos nos comparando aos policiais civis, que possuem classes diferentes. Mas, a minha proposta é pedirmos um salário base de R$ 3 mil", declarou.



Neste sábado, será realizada uma reunião para fechar a proposta que será levada ao Governo do Estado na quarta-feira. 


Jordana Cury (especial para o Cidadeverde.com)
Fábio Lima (da Redação)
Imprimir