Cidadeverde.com
Entretenimento

"Sexo é uma coisa linda e mágica", diz a cantora Ke$ha

Imprimir

Kesha Rose Robert, mais conhecida como Ke$ha, estourou em 2009 com a música "Tik Tok", em que revela ao mundo que escova os dentes com uma garrafa de whisky. Dois anos, muito glitter e hits depois, a loirinha de 24 anos chega ao Brasil para dois shows.
 

Nesta quarta (28) ela toca em São Paulo, na Via Funchal. Amanhã é dia dos cariocas curtirem o pop desbocado e cheio de efeitos da garota no Rock in Rio.

 
Dona dos hits "Your Love Is My Drug", "Animal", "We R Who We R", além de ter escrito "Dance 'Till the World Ends", de Britney Spears", Ke$ha conversou com a Folha por telefone.
 

Ke$ha se apresenta na quarta, em São Paulo, e na quinta, no Rio


Confira abaixo o papo com a cantora que adora "autotune", aquele programa para melhorar a voz, e glitter.
 

Empolgada de trazer a turnê "Get $leazy" para o Brasil?

Estou tããão empolgada. Eu amo a América do Sul e sempre quis ir ao Brasil. Então, isso vai ser incrível. Não posso esperar.
 

O que seus fãs podem esperar dos shows por aqui?
Bem, estou levando todo o show grande e selvagem, então, muito glitter. E eu tenho muitos dançarinos e trocas de figurino, além de coreografias intensas criadas por mim mesma. Você sabe... Apenas uma festa bem selvagem.
 

Você vai tocar no Rock in Rio, um dos maiores festivais do mundo. Você fica nervosa em shows como esse?
Sim, eu fico nervosa, mas, assim que subo no palco, fico muito empolgada.


Todo esse glitter que você usa nos shows... Não se cansa de ter que se limpar dele todos os dias?
Não! Eu amo glitter, eu mergulho nele, está em todo canto. Está na minha cama, no meu café... Pois é, derramei glitter no meu café esta manhã. Glitter faz tudo melhor.
 

Você realmente tem uma "chuva de camisinhas" no seu show? De onde veio essa ideia?

Bem... Eu estimulo que as pessoas façam muito sexo e que seja incrível, mas quero ter certeza de que meus fãs estão seguros. Então eu criei minhas próprias camisinhas. Todo mundo transa, então faça isso de um jeito seguro.
 

Você acha que os adolescentes de hoje são mais conscientes em relação ao sexo?

Olha... Bem... Não sei, porque estou numa vida que grita sexo por todos os lados. Então não sei como um adolescente normal lida com sexo. Se tem algo que eu posso fazer é dizer a eles para serem mais inteligentes em relação a isso. Eu amo sexo, sabe? É uma coisa linda e mágica, mas todo o mundo deveria estar seguro.
 

Você tem muitos fãs adolescentes. Acha que artistas deveriam servir como modelos para os fãs?
Eu virei um tipo de 'role model', mas essa não é a razão por que comecei a escrever música. A razão pela qual eu gosto de fazer música é porque é terapêutico para mim, e eu sou muito boa em escrever. Adoro escrever músicas nas quais as pessoas possam se identificar. É a minha terapia.
 

No começo, quando eu sentava no meu apartamento em Los Angeles e começava a escrever sobre todas as festas loucas que eu ia, não pensava que influenciaria algum jovem quando ficasse famosa. Só queria contar uma história engraçada sobre minha vida louca.
 

Então, sim, acho que, quando você atinge um certo nível, há um elemento de responsabilidade. Então, é claro que eu vou festejar, mas também me certifico de que ninguém aja errado. Não seja estúpido! Divirta-se, mas sem se machucar ou machucar outra pessoa.
 

Bem, os adolescentes, obviamente, te amam. Mas e as mães deles, o que acham de você? Você se importa com isso?
Eu tenho muitas mães no meu show, se embebedando e dançando muito!


Você se considera uma 'bad girl'? Seu nome sempre está nos sites de fofoca...
Não... Na verdade, sou bem doce... Quer dizer, eu sou selvagem. Me considero uma criança selvagem, mas sou uma boa pessoa. Posso ser bem malcriada.
 

Brasil está recebendo um monte de artistas mulheres. Você está vindo, assim como Rihanna Katy Perry, Britney Spears. Como é sua relação com elas? São amigas?
Sim! Eu escrevi o último single da Britney, somos muito próximas. Eu, ela e Nicky Minaj fizemos um remix juntas. Considero todas elas minhas amigas e colegas, então me dou bem com todas. Até fiz uma turnê com a Rihanna.
 

No último Rock in Rio, em 2001, Britney Spears usou playback em várias canções. Você usa playback ou alguma outra coisa que modifique sua voz nos shows, como autotune?
Eu uso autotune como efeito, tipo, um efeito muito óbvio na minha voz, mas só em alguns versos de algumas canções. Eu sei cantar, então não preciso de autotune na minha voz. Uso mais porque traz um efeito interessante para minha voz. Mas não uso ao vivo, porque poderia ficar muito bagunçado.

 
Você geralmente fecha as apresentações com o hit dos Beastie Boys, "You Gota Fight for Your Right (To Party)". É uma música inspiradora para você?
[Risos] Sim! É uma das minhas músicas favoritas de todos os tempos. E eu faço a minha própria versão dela que, geralmente, é... hmm.. puro caos!
 

Te pergunto isso porque, às vezes, temos a impressão de que você está sempre festejando e se divertindo. Mas você tem aqueles momentos em que você só quer estar na sua cama, sozinha, descansando?
Não, nunca sinto essa vontade de não fazer nada, para ser honesta. Estou sempre ligada, mas tenho momentos em que leio, pinto. Mas eu nunca não faço nada. A vida é curta demais.
 

Você escreveu a música "We R Who We R" para os adolescentes gays que estavam cometendo suicídio nos EUA. Como vê essa questão do bullying?

É um problema muito sério quando alguém sente que não pode ser ele mesmo, especialmente numa sociedade em que tudo é baseado no conceito de ser livre. A bandeira americana existe para isso, você não deveria ser perseguido por ser você mesmo. Por isso escrevi a música: todo mundo pode ser quem quiser e celebrar isso. É sobre se sentir confiante em quem você é. Você pode ser orgulhar disso, sem sentir necessidade de ser perfeito. A música é um jeito divertido de inspirar as pessoas.
 

Última pergunta: você realmente já escovou seus dentes com uma garrafa de Jack Daniel's?
 Sempre! É muito bom, você deveria tentar.



KE$HA

São Paulo
Quarta, dia 28/09, às 22h
Via Funchal - R. Funchal, 65
Ingressos: entre R$ 220 e R$ 320
Classificação: 14 anos

Rio de Janeiro
Quinta, 29/09, às 21h40
Rock in Rio - Palco Mundo
Ingressos esgotados




Fonte: Folha Online

Imprimir