Cidadeverde.com
Últimas

Velório de Chico Anysio é aberto ao público

Imprimir
Fãs do humorista Chico Anysio, que morreu na sexta-feira (23), no Rio de Janeiro, aos 80 anos, chegaram cedo para acompanhar o velório do humorista, neste sábado (24), no Theatro Municipal, no Centro do Rio. A concentração aumentou a partir das 12h, horário inicialmente divulgado para a abertura dos portões, e centenas de pessoas se acumularam na calçada, em meio a fotógrafos e jornalistas. Às13h30, o público finalmente pôde entrar.

Theatro Municipal, no Centro do Rio (Foto: José Raphael Bêrredo/jG1)

O humorista faleceu no Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul, onde estava internado havia três meses. Ele teve uma parada cardiorrespiratória, causada por falência múltipla dos órgãos, decorrente de choque séptico causado por infecção pulmonar.

Durante a manhã, enquanto alguns se espremiam atrás dos famosos que foram prestar solidariedade a Chico, e das câmeras de televisão, outros se posicionavam na entrada principal, para guardar lugar entre os primeiros da fila.

A aposentada baiana Willene Silva Ramos chegou às 10h30 para garantir a despedida. “É minha última homenagem ao grande humorista do Brasil. Ele era completo, criava os próprios personagens. Adoro o Professor Raimundo”, disse. “É uma tristeza pela perda, mas em se tratando da despedida de Chico Anysio, tem que ter alegria”, explicou.

Muito emocionada, a ex-mulher de Chico, Alcione Mazzeo, diz que ele lutou muito pela vida (Foto: José Raphael Bêrredo e Janaína Carvalho/G1)

A espera de mais de três horas de Willene foi para apenas 20 segundos dentro do teatro. 
Assim como os demais, entrou por uma porta, viu Chico dentro do caixão aberto e saiu pela porta ao lado, sem poder fotografar. "Queria cumprimentar os familiares, mas não deu. O Chico está com uma cara bem serena, bem tranquila", contou.

Antes dela, o pedreiro Vilson de Souza foi o primeiro fã a entrar. Na fila desde 9h, ele foi aplaudido pelo público na fila, assim como os sósias de Tiririca e Roberto Carlos.

Morador do Rio há 20 anos, o cearense Francisco Juciano Galdino, de 39 anos, esteve no Centro para ver Chico Anysio. Com o filho Gabriel de 2 anos no colo e a esposa Lindalva Araújo, ele falou que o humorista vai fazer falta. "Chico deixou as sementes no humor. Hoje você vê ótimos humoristas e ele foi o que começou tudo isso. Vim aqui com a minha família para ter essa última recordação", disse vestido com a camisa do Vasco para homenagear o artista.


Fonte: G1
Imprimir