Cidadeverde.com

Delta do Parnaíba está entre os 14 ecossistemas afetados pelas manchas de óleo no Nordeste

Foto: ICMbio

O ecossistema do Delta do Parnaíba, localizado entre os estados do Piauí e Maranhão, é um dos 14 que já foram afetados pelas manchas de óleo que aparecem no litoral do Nordeste. A contaminação pode quebrar o ciclo de diversas espécies marinhas do litoral brasileiro, com impacto também socioeconômico nas comunidades que vivem no seu entorno.

Os primeiros sinais de óleo no Delta do Rio Parnaíba foram achados no dia 26 de setembro na Ilha dos Poldros, município de Araioses, no Maranhão. Uma tartaruga marinha foi encontrada morta na região.

No Delta, único das américas, o Rio Parnaíba deságua no Oceano Atlântico em cinco saídas para o mar: Barra do Igaraçu, das Canárias, Caju, Melancieiras e Tutoia.

Já a Área de Proteção Ambiental (APA) Delta do Parnaíba foi criada em agosto de 1996, possui uma área de extensão de 307.590,51 hectares e abrange três estados do Nordeste, Piauí, Maranhão e Ceará, percorrendo todo litoral Piauiense.

A APA abrange 10 municípios: Tutoia, Paulino Neves, Araioses e Água Doce no Maranhão, Ilha Grande, Parnaíba, Luís Correia e Cajueiro da Praia no Piauí, Chaval, Barroquinha no Ceará.

Das 16 praias do litoral do Piauí, seis já foram atingidas pelas manchas de óleo que estão poluindo a costa da região Nordeste. Os dados são da Marinha. Os últimos registros aconteceram no dia 30 de setembro nas praias de Atalaia, Peito de Moça e Coqueiro - ambas em Luís Correia - e Pedra do Sal em Parnaíba. O primeiro caso foi registrado no dia 28 de setembro na praia do Arrombado, e no dia seguinte em Cajueiro.

Brasil

Desde o início da chegada das manchas ao litoral nordestino, em 30 de agosto, 14 unidades de conservação federais foram atingidas pelo óleo. Entre as regiões afetadas estão parques nacionais, áreas de proteção ambiental, reservas extrativistas, reservas biológicas e áreas de interesse ecológico.

As regiões são consideradas sensíveis do ponto de vista ambiental por sua diversidade biológica, além de aspectos estéticos e culturais. Por isso, têm a sua ocupação e uso dos recursos naturais disciplinados por regras que visam garantir a sua sustentabilidade.

Entre os parques nacionais, o mais afetado foi o dos Lençóis Maranhenses. Somente nesta semana, 700 kg de óleo foram retirados da praia de Travosa, no município de Santo Amaro do Maranhão. Há duas semanas, o óleo foi visto em outra área do parque: a praia de Atins, em Barreirinhas. Uma tartaruga foi encontrada coberta de óleo.

Também foi atingido, em menor proporção, o Parque Nacional de Jericoacoara, um dos principais destinos turísticos do Ceará. As manchas, que chegaram há cerca de um mês, já foram retiradas.

Hérlon Moraes (Com informações da Folhapress)
[email protected]