Cidadeverde.com

Parnaíba: pesquisadores da UESPI usam inteligência artificial para diagnosticar Covid-19

Uma  pesquisa da UESPI pode ser um passo importante para obter diagnósticos rápidos, precisos e de baixo custo da Covid-19. O Grupo de Estudos e Desenvolvimento de Aplicações Inteligentes – GEDAI, sob coordenação do professor do curso de Ciência da Computação, campus Parnaíba, Dr. Dario Calçada, identificou que exames de gasometria sanguínea podem ser utilizados para diagnóstico de pacientes com Covid-19. Os pesquisadores utilizaram análise matemática de Inteligência Artificial dos dados do Hospital Albert Einstein para chegar ao resultado.

A pesquisa mostra padrões encontrados em parâmetros de exames laboratoriais, nos quais o principal é a gasometria sanguínea. Sendo assim, um exame simples de medida de concentração de Oxigênio e Gás Carbônico no sangue dos pacientes pode ser utilizado para saber se determinada pessoa está infectada ou não com o novo coronavírus.

Professor Doutor Dario Calçada

“Nosso objetivo foi determinar as características relacionadas aos parâmetros clínicos para a determinação da doença. Analisamos desde exames como sumário de urina, até exames relacionados a gasometria sanguínea e conseguimos descobrir o padrão dos dados em pacientes com a COVID-19 e naqueles que não estavam contaminados com uma separação de 100% dos casos. “O novo coronavírus  é causa problemas respiratórios, portanto os índices relacionados à concentração de gases (O2 e CO2) no sangue, assim como outros parâmetros da hemogasometria, podem gerar evidências para a identificação dos casos”, explica o docente.

Agora, o professor Dario Calçada pretende atrair investimentos para financiar um software especializado de código aberto para auxiliar no diagnóstico de Covid-19.

A pesquisa será publicada na 2° edição da Revista Journal Global Innovation. Também participaram do artigo a professora Dra. Solange Rezende, da Universidade São Paulo de São Carlos (USP/SC),  a pesquisadora e enfermeira Me. Jâina Carolina e o aluno de Iniciação Científica da UESPI, Joan Davi dos Santos, 22 anos.

O discente, que faz parte do projeto, sente-se motivado em descobrir novas pesquisas. “O GEDAI é um local onde posso conhecer mais pessoas, pesquisar assuntos com mais profundidade e, o que acho mais importante do GEDAI: colocar em prática o que nos é ensinado no curso de Ciência da Computação”, ressalta o discente sobre as pesquisas que podem auxiliar no combate ao coronavírus no mundo.

Aluno da UESPI durante uma apresentação do GEDAI

Da Redação
[email protected]