Cidadeverde.com

Voo atrasa decolagem após mulher passar mal e passageiros tiveram que fazer teste para a Covid

Foto: Jornal da Parnaíba

A decolagem de um voo da Azul, com destino a Campinas (SP), registrou atraso na tarde de ontem (03) no Aeroporto Internacional Prefeito Dr. João Silva Filho, em Parnaíba, litoral do Piauí. O impasse se deu após a suspeita de que uma passageira do voo estava com Covid-19. 

De acordo com o major Rivelino Moura, comandante do Corpo de Bombeiros de Parnaíba, a aeronave só foi liberada para seguir viagem após os passageiros e tripulantes passarem por testes rápidos para diagnóstico da Covid. 

"Uma senhora estava com a pressão alterada e surgiu a suspeita de que fosse covid. Uma equipe do Samu foi chamada para constatar e o médico liberou para a viagem. A suspeita seria por uma provável infecção alimentar e não por covid, segundo as informações do Samu", destacou o comandante. 

A aeronave ficou parada por mais de uma hora em uma área restrita do aeroporto enquanto os testes eram realizados. Uma desinfecção também foi realizada.

Ainda de acordo com o major Rivelino Moura, o procedimento realizado faz parte das recomendações padrões relacionados à pandemia da Covid-19. "Em um momento desses, com todo mundo dentro da aeronave, começa a gerar um início de pânico, que precisa ser contornado rapidamente para não gerar mais problema. É um protocolo se fazer isso ainda em terra. O procedimento que foi tomado é o que manda o protocolo", explicou. 

Procurada pelo Cidadeverde.com, a Azul Linhas Aéreas informou que  acionou a administradora aeroportuária e a Anvisa, que realizaram os procedimentos de segurança sanitários e liberaram o embarque. 

NOTA À IMPRENSA

São Paulo, 04 de janeiro de 2021 - A Azul esclarece que o voo AD4379 (Parnaíba-Campinas) retornou de táxi para a checagem de clientes que apresentavam estado febril. A companhia acionou a administradora aeroportuária e a Anvisa que realizaram os procedimentos de segurança sanitários e liberaram o embarque. A Azul lamenta eventuais aborrecimentos ocorridos e reforça que ações como essas são necessárias para garantir a segurança de suas operações.

 

Natanael Souza
[email protected]