Cidadeverde.com

Falta de combustível prejudica campanha de vacinação em Parnaíba; Saúde nega

Fotos: Divulgação SindsermParnaíba

Atualizada às 12h50

Vereadores da Câmara Municipal de Parnaíba (a 340 km de Teresina) denunciaram que a vacinação contra a Covid no município estaria prejudicada porque os veículos, para transporte das doses e dos técnicos até as comunidades da zona rural e à casa dos acamados, estariam sem combustíveis. A líder do prefeito na Câmara e a Secretária de Saúde negaram que haja atraso de vacinação por causa do problema. 

O requerimento verbal com pedidos de providências, foi solicitado pelos vereadores Maria de Fátima Carmino (PT) e Antônio Marcos do Nascimento Oliveira(DEM) e aprovado por unanimidade pela Casa. Na denúncia, que consta na Ata da Sessão Ordinária da Câmara de Parnaíba, do último dia 12 de maio, os servidores informaram que todos os veículos estão parados sem combustível, inclusive os da saúde afetando a vacinação. 

A parlamentar afirmou ainda que somente da Secretaria da Saúde seriam dez processos em atraso de pagamento e que por isso o posto não estaria mais fornecendo o combustível.

O vereador democrata Antônio Marcos destacou que é necessário que o prefeito Francisco Moraes Souza, o Mão Santa, tome providências. “Estão ficando para trás pessoas acamadas, que não podem se locomover para os postos de saúde para se vacinarem e geralmente os agentes de saúde e enfermeiros estão indo até essas pessoas utilizando o transporte da Prefeitura”, justificou. 

Neste domingo(23), presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Parnaíba, Leandro Lopes, confirma que o problema ainda persiste e que está atrapalhando não só a vacinação, como também o transporte dos pacientes que precisam de hemodiálise. 

“De certa forma (prejudica) sim, pois sem o combustível fica difícil a distribuição e o transporte das equipes para as zonas rurais e atendimento de acamados (para vacinação). Assim como também como o transporte de pacientes que fazem hemodiálise. Há informações que essa semana um número mínimo de veículos será abastecido, não se sabe de que maneira. As informações que chegam pra gente é que o abastecimento está sendo feito de forma precária e aleatório e por terceiros.”, ressaltou o representante dos servidores.


 

Gestão nega atraso em vacinação

A líder do governo na Câmara, vereadora Neta Castelo Branco (DEM), informou o proprietário do posto de combustível que havia vencido a licitação desistiu do contrato, mas ainda não havia formalizado por escrito e que a Prefeitura aguarda esse documento para contratar uma nova empresa de forma emergencial e depois refazer o processo licitatório. 

“Devido aos constantes aumentos dos combustíveis, ele desistiu porque não estava compensando. Mas, ele disse verbalmente e a prefeitura pediu que ele formalizasse para conseguir contratar de forma emergencial e depois fizesse uma nova licitação”. 

Neta Castelo Branco garante que, mesmo com esse impasse, os carros da Secretaria da Saúde estão sendo abastecidos desde a última quarta-feira(19) e que a vacinação já voltou a ser realizada. 

“Todos os carros da saúde, ambulâncias, estão sendo abastecidos às 19h toda noite, para poder rodar no outro dia, desde a última quarta-feira. E todas as vacinas foram atualizadas”. 

A informação de que não houve prejuízos para a Saúde, foi reiterada pela secretária da Saúde, Leidiane Pio, que disse que a campanha de vacinação da Covid é “imensa campanha e atípica” e por isso tem exigido de todos os municípios uma operacionalização complexa. 

“Desde a gestão maior, a Secretaria, a Coordenação e profissionais em um trabalho de união e compromisso com a população não deixamos afetar a campanha que segue avançando”, afirmou a secretária. 

Ela relatou que o fato ocorrido na Pedra do Sal, na última quarta-feira(19) foi por falta de comunicação, mas que já foi resolvido na sexta-feira(21), “sem prejuízos para a população”. 

No município já foram aplicadas 24.618 doses das vacinas contra a Covid-19, sendo 17.375 de primeira dose e 7.243 de segunda dose, segundo o Vacinômetro da Secretaria Estadual da Saúde do Piauí (Sesapi). A primeira dose atingiu 11,35% da população parnaiba. 

O sindserm denuncia ainda que muitos veículos estão parados por falta de manutenção. O Cidadeverde.com tentou contato com o secretário de governo, Fabio Barros e com a secretária Gracinha Moraes Souza, mas não obteve sucesso. 

 

Caroline Oliveira
[email protected]