Cidadeverde.com

Hospital de Parnaíba abre posto para a coleta e doação de leite humano

Foto: Divulgação/HEDA

Em comemoração ao Dia Mundial de Doação de Leite Humano o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba, em parceria com a maternidade do Hospital Marques Bastos, realiza, neste sábado (21), a abertura do Posto de Coleta e Doação de Leite Humano. O objetivo é incentivar a doação de leite materno e possibilitar debates sobre a importância do aleitamento materno e da doação de leite humano.

Dentre as ações realizadas estão uma roda de conversa sobre a importância do aleitamento materno e doação de leite humano, palestra sobre amamentação, primeiros cuidados com recém-nascidos, alimentação e nutrição na gestação e puerpério, além de realização de cadastro de mães doadoras. Bem como orientações sobre a importância do posto de coleta de leite humano, além de depoimentos de mães atendidas nos ambulatórios de amamentação.

Maria da Consolação Nascimento, coordenadora de Atenção à Saúde da Criança e Adolescente esteve no hospital para realizar a reavaliação dos atendimentos em relação ao título Hospital Amigo da Criança. “Essa semana estamos visitando o HEDA para realizar a reavaliação da iniciativa Hospital Amigo da Criança, título que o hospital ganhou em 2019 e esse ano estamos avaliando os passos para que ele alcance novamente essa titularidade. 

A unidade de saúde precisa possuir os dez passos para o aleitamento materno. Estamos durante toda essa semana fazendo essa reavaliação e aproveitando para participar do evento sobre doação de leite no município, alusivo ao Dia Mundial de Doação de Leite Humano e a inauguração e implantação do posto de coleta de leite humano”.

Para conquistar o título Hospital Amigo da Criança a unidade de saúde precisa alcançar os dez passos definidos para assegurar a certificação, que são:

• Ter uma política de aleitamento materno escrita e afixada que seja rotineiramente transmitida a toda a equipa de cuidados de saúde;
• Formar toda a equipa capacitando-a para a implementação da norma;
• Informar todas as grávidas sobre as vantagens e a prática do aleitamento materno;
• Ajudar as mães a iniciar o aleitamento materno na primeira hora após o nascimento do bebê;
• Mostrar as mães como amamentar e como manter a lactação mesmo que tenham de ser separadas dos filhos temporariamente;
• Não oferecer aos recém-nascidos bebidas ou alimentos que não sejam o leite materno, a não ser que exista indicação médica;
• Permitir que as mães e bebês permaneçam juntos 24 horas por dia;
• Incentivar o aleitamento materno a pedido;
• Não oferecer tetinas ou chupetas às crianças amamentadas;
• Encorajar a criação de grupos de apoio ao aleitamento materno encaminhando as mães para estes, após a alta do hospital ou maternidade.

Maria Edna Batista Teixeira, superintendente Estadual de Amamentamento Materno, aborda sobre a importância do evento de doação de leite humano e da grande importância de estimular e incentivar a doação. 

“As mães doadoras compreendem que o leite que elas doam possuem uma grande importância para os bebês, principalmente as crianças que nascem com baixo peso ou alguma complicação durante o parto. O leite materno é o melhor alimento para os bebês. Então, essas mães doadoras são de grande importância. Temos um trabalho consolidado em relação à amamentação logo nos primeiros dias do nascimento, estimulando que seja realizado até o sexto mês de forma exclusiva, que é primordial para todos os seres humanos nesse momento de muita dependência e vulnerabilidade. E a doação realizada para um bebê no qual a mãe não pode alimentar nesses primeiros dias de vida o leite doado possui um significado ainda maior, mais amplo, de muito amor, de muita nutrição e de muita vida envolvida”, conclui a gestora.