Cidadeverde.com

MP orienta sobre corrupção no cotidiano em escolas públicas de Parnaíba

O Ministério Público do Estado do Piauí participou da Ação Judicial Eleitoral e Cidadania, realizada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, na cidade de Parnaíba, na última sexta-feira (01/04), com alunos da redes pública municipal e estadual de ensino. A corrupção no cotidiano dos alunos foi o foco da conversa. 

A Promotora de Justiça Joselisse Nunes de Carvalho Costa ministrou a palestra “O que você tem a ver com a corrupção?”, com o objetivo de conscientizar a sociedade a partir de um diferencial, que é o incentivo à honestidade e transparência nas atitudes do cidadão comum, destacando atos rotineiros que contribuem para a formação do caráter. 

“Acreditamos na transformação pela educação e na conscientização como caminho para um Brasil mais justo e mais sério”, disse ela. 

A campanha “O que você tem a ver com a corrupção?” é promovida pelo Ministério Público através do Centro de Apoio Operacional de Combate à Corrupção (CACOP), em parceria com os Promotores de Justiça.

Também representando o Ministério Público, o servidor do Centro de Apoio da Infância e Juventude, José Claudeir Batista Alcântara, ministrou a palestra “Direitos da Criança e do Adolescente, Cidadania e Eleições”, durante a qual abordou a importância da participação dos adolescentes nas discussões dos problemas de sua comunidade, ressaltando que o Estatuto da Criança e do Adolescente é um importante marco legal que garante direitos e incumbe deveres às crianças e adolescentes, enquanto cidadãos. 

Claudeir Alcântara também ressaltou a importância do exercício do voto pelos adolescentes que completarem 16 anos de idade até o dia 02 de outubro, data das eleições. O alistamento eleitoral desses jovens pode ser efetivado até o dia 02 de maio de 2016.

O exercício do voto por adolescentes cidadãos é um incentivo constitucional para o exercício da cidadania, integrando o adolescente à sua comunidade e incentivando a sua responsabilidade social, com o cuidado da escolha de candidatos mediante análise prévia de suas vidas pregressas, o seu compromisso com a comunidade e as melhores propostas que possam garantir os direitos de crianças e adolescentes.

 

Da Editoria de Cidades
cidades@cidadeverde.com