Cidadeverde.com

Presos fazem rebelião e incendeiam parte da Penitenciaria Mista de Parnaíba

Detentos de sete alas da Penitenciária Mista de Parnaíba Juiz Fontes Ibiapina, a 336 km de Teresina, iniciaram uma rebelião na noite desta sexta-feira (09) e incendiaram parte da estrutura da unidade prisional. Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), o motim teve início às 18h e só começou perder força durante a madrugada.

"Até agora ainda está impossibilitado de entrar lá, porque eles depredaram a unidade, atearam fogo nos colchões, arrancaram parte do teto para tocar fogo e bloquearam as entradas principais, conseguindo impedir a entrada da polícia. Conseguiram fazer grandes danos a unidade, foi um motim de grande proporção", informou Kleiton Holanda, vice-presidente do Sinpoljuspi.

Os agentes conseguiram isolar o perímetro da penitenciaria e acionaram o Comando de Operações Prisionais (COP) e a Força Tática da Polícia Militar de Parnaíba. "Eles esperaram que o fogo diminuísse para que pudessem entrar, isso virou a madrugada e não foi possível, só agora pela manhã que isso vai acontecer", afirmou o vice-presidente do Sinpoljuspi.

Atualmente, a penitenciaria abriga cerca de 660 presos, homens e mulheres, dentre detentos do regime fechado, semi-aberto e aberto. "Lá é um espaço para 160 presos e está com mais do triplo da capacidade, quando eles fazem esses motins é sempre pelo mesmo motivo: falta de espaço", ressaltou Kleiton Holanda.

O Sinpoljuspi ressalta ainda que, com a maioria das unidades prisionais do Estado estando em superlotação, a transferência de presos, para evitar uma nova rebelião, se torna dificultosa. "É praticamente impossível haver alguma transferência, que é o procedimento que deve ser feito, além disso a situação já saiu do controle, os presos de algumas unidades prisionais do Estado, hoje, se recusam a aceitar um novo detento e isso oferece um risco para eles e para os agentes", finalizou Kleiton Holanda.

A Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus-PI) afirmou que o Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas e que a segurança foi reforçada para garantir a segurança na penitenciária. De acordo com Leandro Oliveira, diretor adjunto da Diretoria da Unidade de Administração Penitenciária da Sejus, a agilidade das tropas de segurança ajudaram a conter o problema logo no início.

"Temos avançado na parte de segurança prisional, o que tem evitado problemas como fugas e reprimido motins com êxito, mantendo a ordem e protegendo a população", diz. Nenhum preso foi ferido. As forças de segurança permanecem na unidade pelo menos até quarta-feira (13), para ajudar a manter a ordem no presídio.

 

Lucas Marreiros (Especial para o Cidadadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com