Cidadeverde.com

Prefeitura doa terreno para construção de uma unidade do Ceir

A melhoria no atendimento à Pessoa com Deficiência tem sido uma prioridade do Governo do Estado e, para tanto, a descentralização do Centro de Alta Complexidade em Reabilitação, que hoje se concentra em Teresina, está sendo trabalhada. Diversos municípios ganharão unidades especializadas que atenderão até quatro tipos de deficiência (CER 4).

Parnaíba será a primeira cidade do interior a receber o centro nos moldes do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir). Esse será um CER 4, que atende as deficiências intelectual, visual, auditiva e física. O município já autorizou a doação de um terreno e a construção terá início até o mês de agosto. A unidade é orçada em R$ 5 milhões e a previsão para a inauguração é até um ano após o início das obras.

O centro será o mais completo do estado. O CER 4 de Parnaíba terá capacidade para receber mais de 700 pacientes por mês. “O de Parnaíba será o maior por atender a quatro modalidades de deficiência, uma a mais que o Ceir de Teresina, que atende a três. No entanto, o centro da capital já está pleiteando a elevação de categoria para também atender todas as especialidades”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Francisco Costa.

Os demais municípios que estão no Plano de Descentralização de Políticas de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência atenderão a dois e quatro tipos de deficiência (CER 2 e CER 4). As cidades de São João do Piauí, Valença, Esperantina e Corrente receberão o CER 2. Já, Bom Jesus, Picos e Floriano terão o CER 4.

“Nos locais em que o centro atenderá a dois tipos de deficiência é feito uma análise para saber a maior demanda da região. Em São João, por exemplo, serão atendidas as deficiências física e visual. Os outros ainda serão definidos”, explica o secretário de Inclusão para a Pessoa com Deficiência, Mauro Eduardo.

Oficina Itinerante

Os municípios também contam com o atendimento provisório por meio de instituições filantrópicas que trabalham com a Pessoa com Deficiência. Além disso, a população é atendida pela carreta itinerante do programa Passo a Frente, que oferta serviços às Pessoas com Deficiência com a produção de órteses e próteses, além de coletes, botas, palmilhas, sapatos para pé diabético e pé congênito.

O programa, realizado pelo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), em parceria com a Secretaria de Estado para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid) e Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), já beneficiou 618 pessoas em Floriano e municípios vizinhos. A Oficina Itinerante seguirá agora para São João do Piauí e São Raimundo Nonato, com a perspectiva de realizar mais de 600 atendimentos. 


redacao@cidadeverde.com