Cidadeverde.com

Acusado de distribuir pornografia infantil fica preso em Parnaíba

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (26) a segunda fase da Operação #Underground 2, dando cumprimento a 10 mandados de prisão preventiva contra acusados de distribuição de pornografia infantil nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Acre e Maranhão, onde foi detido Francisco César da Silva Santos. A prisão aconteceu na cidade de Água Doce, distante cerca de 100 quilômetros de Parnaíba.

Por conta disso, o preso foi trazido para a sede da delegacia da Polícia Federal, localizada na Avenida São Sebastião na cidade de Parnaíba. Francisco César foi encaminhado para a realização de exame de corpo delito no posto avançado do Instituto Médico Legal (IML) e em seguida levado para a Penitenciária Mista Dr. Fontes Ibiapina. Com ele, a polícia aprendeu um computador com material pornográfico de conteúdo infantil, além de peças de roupa de crianças.

Segundo o apurado através das investigações, Francisco integrava uma quadrilha em que grande parte dos acusados abusava sexualmente de crianças registrando imagens. Em outro momento, o material era compartilhado via internet, sendo trocado ou vendido para outras pessoas. Algumas vítimas já foram identificadas, o que permitiu mostrar que o agressor, muitas vezes, é uma pessoa do convívio familiar ou até mesmo membro da família.

Em todos os estados onde a PF realizou a operação, foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e 10 prisões. As imagens eram publicadas em um ambiente virtual conhecido como DEEPWEB, de acesso restrito, o que dificulta o trabalho de identificação dos suspeitos. O crime de divulgação de imagens de pornografia infantil prevê pena de 3 a 6 anos de reclusão. Já o crime de estupro de vulnerável prevê de 08 a 15 anos de prisão.

A delegada da Polícia Federal em Parnaíba, Milena Soares de Sousa Caland, apresentou o material apreendido com o suspeito de pedofilia identificado como Francisco César da Silva Santos, preso no município de Água Doce (MA) na manhã desta quinta-feira (26). 

Com ele foram encontrados dois notebooks, aparelhos de celular, mídias digitais como CD, pendrive e cartão de memória, duas agendas de contatos, além de peças de roupa íntima infantil. O material contém farto conteúdo de pornografia infantil produzido, recebido e divulgado por Francisco, acusado de abusar dos próprios sobrinhos de 11 e 12 anos de idade.

Segundo a delegada, o acusado residiu em São Paulo até o final do ano passado, quando acabou demitido da empresa que trabalhava. “Com isso, resolveu voltar a morar com os pais no Maranhão, mais continuou a cometer os crimes, juntamente com o restante da quadrilha que foi presa. As fotos e vídeos encontrados comprovam os abusos”, disse a delegada.

Morando em Água Doce, Francisco César passou a trabalhar como professor particular e dava aula para crianças. Por isso, a PF vai apurar a possibilidade de que o pedófilo tenha feito mais vítimas nos últimos meses.

Fonte: portalcostanorte