Cidadeverde.com

Incra libera R$ 327 mil para Reserva Extrativista do Delta do Parnaíba

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária no Piauí (Incra/PI) está liberando, já nos próximos dias, R$ 327,6 mil para 63 famílias que vivem na Reserva Extrativista (Resex) Marinha do Delta do Parnaíba. Na manhã do último sábado, 30 de junho, o superintendente regional do Incra/PI, Sérgio Ricardo Soares Viana, esteve na sede da Associação de Moradores e de Pescadores da Ilhas Canárias, uma das ilhas do Delta do Parnaíba, para anunciar a liberação dos investimentos e dar mais esclarecimentos sobre o uso dos recursos em prol do desenvolvimento da região.

Os recursos investidos pelo Incra na comunidade são referentes à operacionalização do Crédito Instalação no Apoio Inicial, cujo valor, por família, é de R$ 5.200,00. Essa linha de crédito oferece condições diferenciadas, como taxa de juros baixa – de apenas 0,5% ao ano – e desconto de até 90% na quitação do valor devido. Além disso, o prazo para pagamento em parcela única é de três anos após a liberação para pagamento.

“É importante frisar que a área da Resex tem algumas peculiaridades. Aqui é um paraíso turístico importante para o Estado do Piauí e esses recursos devem ser utilizados em atividades e equipamentos que respeitem e preservem o meio ambiente, além de outras normas ambientais”, lembrou Sérgio Ricardo.

A gestora da Resex, Tatiana Rehder, destacou a importância da parceria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) com o Incra. “É uma parceria que tem se fortalecido a cada dia e que tem permitido aos moradores da reserva receberam os mesmos benefícios das famílias assentadas atendidas pelo Incra no Piauí”, afirmou.

O presidente da Associação dos Moradores e Pescadores, José Raimundo Brito de Oliveira, disse que os trabalhadores já sabem como usarão esse crédito que está sendo liberado pelo Incra. “Aqui as famílias exercem a atividade pesqueira, esses recursos serão usados para fortalecer o desenvolvimento econômico de cada família e todos estão orientados a comprarem itens que respeitem a legalidade e que possam contribuir com a melhoria e aumento da atividade de cada um”, disse o líder dos moradores.

Fonte: Ascom