Cidadeverde.com

Parnaíba: Corpo de Bombeiros trabalha na contenção de danos

O comandante do Corpo de Bombeiros, Carlos Frederico, afirmou nesta terça-feira (26) que a situação de alagamento nos bairros de Parnaíba encontra-se em maior tranquilidade. De acordo com o chefe da corporação, os principais bairros alagados já foram completamente escoados após um trabalho conjunto entre Bombeiros e carros-pipa da prefeitura. O trabalho de retirada da água durou aproximadamente 14 horas. 

“A sensação era de encharcamento, como se não houvesse como escorrer a água”, informou o comandante em entrevista à TV Cidade Verde. 

Segundo ele, a situação de resgate está em fase de contenção de danos. O comandante afirmou ainda que sem a integração das forças públicas a situação não teria sido tranquilizada. “Encontramos um cenário difícil que exigiu uma rede de proteção de retaguarda. Sem a integração não seria possível”, afirmou Carlos Frederico. 

Além do Corpo de Bombeiros, o trabalho de resgate contou com órgãos municipais e estaduais como a Defesa Civil, além do reforço do Exército e da Marinha do Brasil que disponibilizaram efetivo para a operação. 

A atuação prioritária dos Bombeiros na primeira fase foi em relação ao resgate de vítimas.  "Ainda que os lares estivessem atingidos, foram cerca de 15 bairros, 336 pessoas, 98 famílias no primeiro dia, algumas pessoas não querem deixar o lar. A medida que a gravidade crescia as pessoas começavam a se incentivar a sair”, lembrou Carlos Frederico.

Atualmente cerca de 110 famílias estão desabrigadas , 83 estão em abrigos da prefeitura e 27 em casas de familiares. Na manhã desta terça (26) foi iniciado o trabalho de ajuda humanitária, com doação de colchões, kits de higiene e cestas básicas. O comandante informou ainda que a segurança foi reforçada nas áreas atingidas. 

Saúde garante vacinação

Em entrevista ao Jornal do Piauí, o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, garantiu a integração do poder público para o atendimento às vítimas da enchente no litoral. De acordo com o gestor, equipes de vigilância epidemiológica devem trabalhar no monitoramento dos cartões de vacinação de crianças das famílias atingidas. Os profissionais da saúde envolvidos no atendimento também estariam sendo vacinados.

Ainda segundo Florentino, o governo do estado deve destinar cerca de 200 cestas básicas e água mineral para as vítimas nos abrigos. A integração também envolve a Secretaria de Assistência Social e a Secretaria Estadual de Educação, que disponibilizou a estrutura das escolas estaduais no município para o abrigo de vítimas, caso o número de famílias atingidas aumente.

Valmir Macêdo (Especial para Cidadeverde.com)
redacao@cidadeverde.com