Cidadeverde.com

Presas, amigas confessam assassinato de jovem em Parnaíba

 

Foto: Reprodução/VídeoClickParnaíba

Atualizada às 12h10

A Polícia Militar prendeu, na manhã desta segunda-feira (15) ,três suspeitos de assassinar a facadas a jovem Gilmara Veras Araújo. Foram presas Bruna Vasconcelos, 20, Kelsiane de Araújo, 21, e David Allison Cruz, 19. 

"Recebemos uma informação anônima que eles estavam escondidos em um casa abandonada no bairro São Vicente de Paula", informou o comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar de Parnaíba, tenente coronel Antônio Pacífico.

Segundo o comandante, uma das suspeitas presas teria desferido uma facada contra Gilmara Veras Araújo na noite desse domingo (14). Em entrevista ao site Click Parnaíba, Bruna confessou que deu uma facada em Gilmara porque a jovem tinha “cisma” com ela e sua amiga, Kelsiane.

Segundo a Polícia Militar, as duas afirmam que agiram em legítima defesa. “Tantas vezes ela me maldava e olhava pra mim e perguntava e aí, o que tu quer? Quem procura acha”, disse Bruna. A outra presa, Kelsiane, conta que Gilmara tinha rixa com ela e que deu um golpe de capacete nela porque viu que Gilmara iria agredir sua amiga Bruna. 

 “Se não fosse minha amiga para dar uma “capacetada” nela, era eu quem estava morta. Prefiro ela. Sou mais a mãe dela  chorando do que a minha ”, disse Bruna.  

 Kelsiane, Bruna e seu namorado  David [apontado como a pessoa que deu fuga para as duas]  estão detidos na Central de Flagrantes de Parnaíba. 

Matéria original

Foto: Reprodução/Facebook

Uma jovem identificada como Gilmara Veras Araújo, 26 anos, foi morta a facadas durante uma festa na Lagoa do Portinho, litoral do Estado. O crime foi praticado na noite desse domingo. 

Segundo informações do tenente coronel Antônio Pacífico, comandante da Polícia Militar em Parnaíba, a PM chegou ao local e encontrou a jovem passando mal. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e constatou a morte de Gilmara. 

A Polícia ainda não tem suspeitos da autoria do assassinato, nem sobre as circunstâncias do crime. Há informações que a vítima teria sido segurada por algumas mulheres enquanto era esfaqueada. Outra versão seria de que Gilmara foi morta por um homem. “No entanto, ainda não sabemos o que aconteceu de fato”, disse o coronel.

O caso será investigado pela Delegacia de Combate a Homicídios, Tráfico de Drogas e Latrocínio de Parnaíba. 

Nas redes sociais, amigas da jovem lamentaram a morte e cobram justiça. 


Izabella Pimentel
izabella@cidadeverde.com