Cidadeverde.com

Coluna 06/01

A montanha

Não são poucos os desafios de Chico Lucas à frente da Segurança Pública do Estado. Por ser uma das áreas mais sensíveis de qualquer Governo - capazes de aumentar ou diminuir a aprovação de uma gestão, junto com o andamento da economia - e pelo protagonismo que teve no pleito estadual como um dos coordenadores da campanha de Rafael Fonteles, os olhos da população e da opinião pública estão voltados para as mudanças que o ex-presidente da OAB-PI deve implementar na pasta.

Foto: Divulgação


3 pontos e um bônus

Evitando discursos mais incisivos - que têm o mérito de não melindrar os antigos gestores da área e o próprio quadro técnico da pasta - Chico Lucas tem como desafios o combate às facções – em especial no litoral e na região de Piripiri, que atraiu bandidos que fugiram da repressão no Ceará; implementação de sistemas informatizados e tecnologias embarcadas nas viaturas, além de conseguir fazer com que a população receba o mesmo nível de atendimento nas delegacias especializadas e nos distritos, já que hoje o atendimento nas especializadas supera qualitativamente o dos distritos. Outro problema com forte apelo na sensibilidade da população: combate ao roubo de celulares.


Histórico

Na avaliação de nomes da segurança ouvidos pela coluna, há recursos à disposição no Fundo Nacional de Segurança Pública que podem ser aplicados nos projetos de gestão de qualidade dos atendimentos nas delegacias e na qualificação dos operadores da segurança pública para a utilização das tecnologias. Quando foi presidente do Interpi, Chico Lucas realizou um trabalho intenso de digitalização dos processos, incidindo na diminuição dos sérios conflitos agrários na região dos Cerrados. Portanto, é visto dentro do Governo como alguém com expertise para resolver o problema que se impõe no segmento de unir tecnologia e gestão.


Cara nova

Um dos novos nomes que ascedem com protagonismo na gestão de Chico Lucas é Anchieta Ney, ex-delegado titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) e nomeado agora como diretor de Inteligência da Segurança estadual. Anchieta teve experiência como gestor na inteligência do Ministério da Justiça e participou de grandes operações policiais nos últimos anos, unindo o trabalho em tecnologia, com o conhecimento prático da movimentação policial. Ou seja, será uma das peças-chave no diagnóstico dos problemas e soluções para enfrentar a violência no estado.

Foto: Arquivo Pessoal


Duas novas

Há ainda dois ineditismos na pasta: a primeira mulher comandando uma das principais Delegacias Especializadas do estado: a DEPRE, a delegada Alexandra Santos, e a criação de uma diretoria de Defesa do Consumidor, que fiscalizará se locais estão respeitando os direitos da população, como os cartéis de combustíveis nos postos de gasolina. Criada no Maranhão há oito anos, essa diretoria teve grande repercussão popular e o antigo ocupante conseguiu se destacar elegendo-se como deputado estadual e depois federal no estado vizinho. A conferir no Piauí.


Organograma

A coluna mapeia politicamente as últimas indicações de Rafael Fonteles, que fecham o novo secretariado do governador petista. Os nomes contemplam aliados, em sua maioria, do PT. São eles:

Patrícia Leal, ex- prefeita de Altos, indicação do deputado Warton Lacerda (PT) - Imepi 

Douglas Lima – Vice-prefeito de Cocal e indicação do deputado Rubens Vieira (PT) - Coordenador de Desenvolvimento dos Territórios 

João Xavier- cota pessoal, foi professor de Rafael Fonteles na Ufpi - Fapepi 

Marcus Vinícius, filho do suplente de deputado Cícero Magalhães (PT) – Fundação Antares 

José Augusto, ex-gestor da Defesa Civil, indicação do suplente de deputado federal Wilson Martins (PT) - Companhia Ferroviária do Piauí 

Maria do Amparo – mantida na Controladoria Geral do Estado 

Felipe Araújo – indicação do ex-prefeito e suplente de deputado Hélio Rodrigues  (PT) na Agência de Fomento 

Mara Beatriz – indicação do senador e ministro Wellington Dias - Cerimonial

Foto: Divulgação


A frase para pensar:

“Para mim, é muito melhor compreender o Universo como ele realmente é do que persistir no engano, por mais satisfatório e tranquilizador que possa parecer”, Carl Sagan (1934-1996), astrônomo americano.