Cidadeverde.com

Wellington Dias já tem o PMDB que precisa para a reeleição

O PMDB piauiense participa dividido de eleição para o governo do Estado desde 2002. E o governador Wellington Dias sempre contou com apoio de parte da sigla nas três eleições em que conquistou o poder, até mesmo em 2014, quando o PMDB estava no governo e apresentou o então governador Zé Filho para concorrer à reeleição. Para 2018, Wellington Dias se antecipou e fechou acordo com parte significativa do PMDB, que acena para manter a aliança independente do rumo nacional do partido, que será de confronto direto com o PT.  Hoje o governador conta com apoio do presidente estadual, Marcelo Castro, dos deputados Themistocles Filho, João Mádison, Pablo Santos, Zé Santana, Mauro Tapety e Severo Eulálio. Na parte contrária à aliança com o PT e plenamente alinhada à direção nacional, estão a deputada Juliana Moraes Sousa e o ex-ministro João Henrique Sousa, vice-presidente do diretório estadual e pré-candidato a governador. Os dois grupos estão formados, com posições firmadas, distantes e sem chances de acordo. Resta saber quem ficará no PMDB ou se o partido conviverá com a situação em 2018, a exemplo do que ocorreu em 2006, quando Mão Santa foi candidato ao governo e outra banda peemedebista aderiu à reeleição do mesmo Wellington Dias.