Cidadeverde.com
Política

Deputado Júlio César pede que TRE afaste juiz no interior do Piauí

Imprimir
Os advogados do deputado federal Júlio César Lima (PSD) ingressaram nesta segunda-feira (10) no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí - TRE-PI - com uma representação contra o juiz da 46ª zona eleitoral, de Guadalupe, 345 quilômetros ao Sul de Teresina. Ele pede a suspensão de Marcos Antonio Souza e Silva de suas funções e a nomeação de um substituto. 

Deputado Júlio César (PSD-PI)

A alegação é de que o magistrado seria simpático de Wallem Mousinho (PDT), o que prejudicaria a candidata da oposição, Neidinha Lima (PSD), cunhada do parlamentar. Ouvido pelo Cidadeverde.com, o juiz nega qualquer favorecimento e atribui a queixa ao acirramento da campanha eleitoral. 

Além da suposta "antipatia" por Neidinha Lima, os advogados do deputado alegam ter provas documentais para pedir o afastamento do juiz. Entre as queixas está a nomeação de uma prima da esposa do magistrado em cargo comissionado na Prefeitura de Guadalupe e depois cedida para trabalhar no fórum do município. 

Por telefone, o juiz demonstrou surpresa ao saber da representação. "Acho que nesse período eleitoral é comum esse tipo de comportamento. Uma decisão judicial tem sempre um acolhimento que traduz satisfação e insatisfação", declarou Marcos Antonio Souza e Silva ao Cidadeverde.com. "Pelas próprias decisões que são tomadas e confirmadas pelos tribunais superiores, estou absolutamente tranquilo", acrescentou, lembrando ter 20 anos de magistratura sem manchas em seu currículo. 

O juiz também comentou a contratação da servidora. Ele confirmou que Riviane Maria Alves trabalhou no fórum em 2011 por um curto período, cedida pela prefeitura em razão de um convênio entre o Tribunal de Justiça e municípios, que cederam servidores para reforçarem o atendimento das comarcas. Segundo Marcos Antonio, a transferência ocorreu "sem interferência direta do magistrado" e a funcionária deixou de prestar serviços no fórum ainda no ano passado. Além disso, ele acredita que o "parentesco" distante é insuficiente para uma alegação de nepotismo. 

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com
Imprimir