Geral

Ex-coronel Correia Lima pode perder regime semiaberto

Imprimir

O ex-coronel da Polícia Militar do Piauí, José Viriato Correia Lima, pode ter o benefício de regime semiaberto suspenso caso não tenha passado a noite desta terça-feira na Penitenciária Mista de Parnaíba.





Segundo o diretor de presídios da Secretaria de Justiça, Mag Say Say Feitosa, a assessoria jurídica de Correia Lima deveria ter enviando pedido ao juiz para garantir que o ex-coronel pudesse passar a noite em casa.


“Ele recebeu a progressão do regime: começou com uma pena grave (reclusão fechada) e foi beneficiado com uma pena mais leve (reclusão semi-aberta). Entretanto, caso haja infração, ele pode regredir e voltar para a prisão em tempo integral”, disse Mag Say Say.





Correia Lima foi favorecido com essa nova modalidade de reclusão devido ao longo período de prisão e bom comportamento apresentado durante quase os 11 anos em que esteve recluso.


“Outra exigência para manter o benefício é comprovar atividade laboral”, informa o diretor de presídios da Secretaria de Justiça.


Possibilidade de transferência
Mag Say Say Feitosa não descartou a possibilidade de transferência de Correia Lima para a capital Teresina. “Tudo vai depender do entendimento do juiz e da solicitação do preso. Mas não está descartada essa possibilidade”, explixa


Suspensão do regime semi-aberto
Esta marcado para o mês de dezembro de 2010 o julgamento de Correia Lima pelo caso Queimados. Caso seja condenado, o ex-coronel da PM pode ter o benefício do regime semiaberto suspenso.


Posicionamento da justiça
O juiz da 1º Vara Criminal de Parnaíba, José Ribamar Oliveria acredita que o não comparecimento de Correia Lima à Penitenciária Mista se deu por um equívoco. "O benefício poderia ser suspenso se ele [Correia Lima] tivesse cometido algo ato de indisciplinaridade. Acredito que foi apenas um erro de comunicação. Encaminhei hoje (27) um ofício para a Penitenciária informando o tipo de pena que o ex-coronel passa a cumprir. Se ele não comparecer hoje, terá beneficio suspenso de vez", garantiu.


Palavra do Advogado
O bacharel que defende Correia Lima, Leôncio Coelho, não confirmou se seu cliente realmente não havia dormindo na prisão. Durante entrevista no Jornal do Piauí, o advogado afirmou que o ex-coronel deve é temente à Deus e às leis dos homens e que deve se tornar pastor.





Lívio Galeno
liviogaleno@cidadeverde.com

Imprimir