Cidadeverde.com
Geral

HUT é habilitado como alta complexidade em terapia nutricional

Imprimir

O Ministério da Saúde habilitou no último dia 28 de dezembro, o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Terapia Nutricional Enteral e Parenteral. Para o nutrólogo do HUT, Dr. Carlos Henrique Ferreira, a Portaria SAS/MS n° 2.500/16 é um reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvido pelo Hospital nos últimos anos.

“O HUT trabalha a terapia nutricional com insumos de altíssima qualidade. Do ponto de vista tecnológico possuímos o que há de melhor no mercado mundial em terapia nutricional. Nosso trabalho é realizado dentro de critérios de qualidade internacionais. Além disso, temos um protocolo assistencial que garante ao paciente um acompanhamento nutricional que vai desde sua entrada no hospital até a alta hospitalar”, explicou Dr. Carlos, acrescentando que o HUT é o terceiro Hospital do Piauí a receber esse tipo de habilitação.  

A Terapia Nutricional de Alta Complexidade é utilizada em pacientes que possuem algum tipo de dificuldade em se alimentar da forma habitual e é constituída de duas modalidades: para os que podem utilizar o trato digestivo é feita a Terapia Enteral por meio de sonda nasoentérica, gastrostomia ou jejunostomia; já aqueles que não podem utilizar o trato digestivo é feita a Terapia Nutricional Parenteral (intravenosa).

De acordo com a nutricionista da equipe do HUT, Juliana Lima, um dos pré-requisitos fundamentais para a habilitação do Hospital como Unidade de Alta Complexidade em Terapia Nutricional foi a existência da equipe multidisciplinar de terapia nutricional. “Nossa equipe já realiza esse trabalho há três anos. Fazemos uma triagem nutricional de todos os pacientes que entram na nossa unidade de saúde para avaliar o risco de desnutrição. Os que apresentam algum risco ou permanecem internados por mais de uma semana passam por uma avaliação nutricional mais rigorosa seguindo demandas específicas, de acordo com suas necessidades individuais”, destacou.
 
Internado na clínica pediátrica do HUT desde o dia 13 de novembro, o pequeno George Luis, de três anos, chegou com um quadro de diarreia e pneumonia grave. Após a realização dos exames foi diagnosticado uma tuberculose. Por conta da gravidade do seu quadro de saúde George acabou perdendo muito peso e passou a ser acompanhado pela equipe multidisciplinar de terapia nutricional. “George recebeu sua dieta por meio de uma sonda nasoentérica e hoje já está com um ganho de peso bastante satisfatório. Sua recuperação nutricional fez toda diferença para que seu organismo conseguisse debelar a infecção”, explicou Juliana. 


 
Feliz em ver seu filho se recuperando bem após esse longo período em tratamento, Jorge Araujo, pai de George Luis, disse que o melhor presente desse ano foi a alta que o filho recebeu no dia de natal da UTI pediátrica. “Eu estava trabalhando como pintor no Rio de Janeiro e voltei só para cuidar dele. Ele está ganhando peso e já melhorou muito. Deus me deu a vida dele de volta. Vou cuidar com muito amor”, declarou Jorge.   
 
Essas equipes, segundo a gerente do Serviço de Nutrição e Dietética, Lívia Borges, são formadas por médicos, enfermeiros, nutricionistas e farmacêuticos. “Cada profissional tem um papel fundamental para a realização desse trabalho. O médico faz a prescrição. O nutricionista verifica que tipos de insumos correspondem à prescrição médica. O enfermeiro administra todas essas modalidades terapêuticas, além de participar do plano individual de alta do paciente em terapia nutricional. E o farmacêutico manipula, quer dizer, fabrica a terapia nutricional parenteral”.

O diretor geral do HUT, Dr. Gilberto Albuquerque, disse que um dos principais benefícios da nova habilitação é a participação do Ministério da Saúde na ajuda do custeio. “A terapia nutricional de alta complexidade tem um custo muito elevado. Com a habilitação poderemos ter mais recursos para oferecer esse tipo de terapia. Apenas 2016 o HUT forneceu 112.342 dietas enterais e 797 parenterais”, finalizou o diretor.
 
Um paciente que é admitido no HUT com um quadro grave de trauma, por exemplo, tem grande probabilidade de perder peso e, consequentemente, dificultar o processo de recuperação. O acompanhamento precoce e diário, realizado pelas equipes multidisciplinares do HUT, até a alta hospitalar garante uma recuperação efetiva do paciente diminuindo assim o tempo de internação e um possível retorno a unidade hospitalar.

redacao@cidadeverde.com

Imprimir