Cidadeverde.com

Educação: desafios para 2020

Em 2019 completei 33 anos que me dedico integralmente à educação. Na verdade, foi uma paixão que herdei dos meus pais e esse envolvimento com a educação já envolve cinco gerações da minha família. Mas essa paixão pela sala de aula me fez ocupar outros espaços, dentre eles o Conselho Estadual de Educação (CEE/PI).

O CEE é o órgão governamental responsável pela regulação do Sistema Estadual de Educação que compreende a Educação Básica (redes pública e privada) e o Ensino Superior, compreendendo os cursos de graduação da Universidade Estadual do Piauí. Compreende um universo de questões que vão muito além da autorização de funcionamento de escolas e diferentes modalidades de ensino, passando pela atividade de regulamentação de leis e a criação de normas específicas para orientar o funcionamento das escolas e demais componentes do Sistema.

Estou no conselho desde 2008 e este ano, 2019, assumi pela primeira vez, a Presidência do Colegiado para um mandato tampão que encerrará em meados de 2020. Mas o pouco tempo (cerca de 11 meses) será um período de muito trabalho, pois a educação brasileira encontra-se em um período de transição.

Dentre os desafios de 2020 encontra-se a regulamentação do Novo Ensino Médio, que virou lei, mas que deixou uma série de lacunas para serem regulamentadas pelos Conselhos Estaduais de Educação, especialmente porque é o principal foco da atribuição dos colegiados estaduais. Nestas mudanças o desafio de fazer um currículo que dê ao estudante a perspectiva de se preparar para entrar na universidade ou a perspectiva de preparar-se para o mercado de trabalho.

O Novo Ensino Médio promete que o currículo vai ter uma base comum que terá no máximo 1800 horas para serem trabalhadas nos três anos do Ensino Médio e mais itinerários formativos específicos focados na educação profissional ou em algum dos eixos que servem como base do atual Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM). Mas a incoerência consiste exatamente em deixar as coisas muito soltas, fazendo com que cada escola possa escolher o seu modus operandi. É neste particular que o papel do CEE está bem delineado: criar uma orientação que leve as escolas a definirem os seus caminhos, mas de forma que não se alarguem muito as diferenças entre escolas. Este será o maior de todos os desafios que teremos para o ano que vem.

Boa semana para todos (as).