Cidadeverde.com

Estudos de uma vida inteira

No último dia 29 de novembro, no Auditório Dárdano de Andrade Lima na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), a Dra. Carmen Sílvia Zickel defendeu seu Memorial para obtenção do título de Professora Titular da UFRPE.

Esta defesa é o coroamento de uma vida inteira dedicada à pesquisa e a formação de recursos humanos, missão de muitos dos professores que fazem parte de um seleto grupo que atua nas universidades brasileiras, considerados os principais centros de produção de conhecimento e responsáveis por cerca de 95% de todo o conhecimento produzido no nosso país.

Embora massacrados pela falta de uma política de investimentos sólida e que garanta fluxo de recursos para manutenção de bolsas de cursos de formação como Mestrado e Doutorado e, ultimamente achincalhados pelo desorientado que ocupa o Ministério da Educação, são os professores que atuam nos programas de pós-graduação que retroalimentam a formação de pessoal para as universidades, num ciclo quase infinito de geração de conhecimento.

Mas quem é a Doutora Carmen Zickel?

Paulista de Campinas, torcedora da Ponte Preta e fã incondicional da Banda irlandesa U2, Carmen Zickel é bióloga com formação na área botânica formada pela UNICAMP e que desde o início dos anos 1990 se instalou na UFRPE. Começou estudando grupos de plantas, mas a sua paixão pelas praias despertou o desejo de conhecer as estratégias ecológicas das plantas no ambiente de Restinga (vegetação que ocorre na região litorânea), no qual fatores como a escassez de água, o excesso de sal no solo, os ventos, são preponderantes e limitadores da sobrevivência de muitas espécies. Carmen passou a orientar pesquisadores que atuaram em diferentes frentes de diferentes regiões do litoral nordestino.

Seus estudos e de seus discípulos registram informações dos litorais do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Bahia. Conhecimento sobre a Flora e a estrutura da vegetação dos estratos lenhoso e herbáceo, além de estudos ecológicos mais específicos traduzem o conhecimento de plantas do maior litoral do Brasil: o litoral nordestino.

Zickel tem no currículo 22 orientações de iniciação científica, 9 orientações de trabalho de conclusão de curso, além da formação de 14 doutores, 23 mestres, e duas supervisões de pós-doutorado, abrangendo temas das áreas de botânica taxonômica, ecologia vegetal e mais recentemente filogenia de grupos de plantas, com foco principalmente na família Sapotaceae que apresenta muitas plantas na lista das espécies em risco de extinção.

Faço este importante registro para meus leitores do Ciência Viva porque fui o quarto Doutor formado pela Dra. Carmen Zickel. Conheci Dra. Carmen em 1998 quando tive a oportunidade de ser aluno da disciplina de Ecologia de Campo, durante o meu Mestrado em Botânica. Em 2005 prestei concurso para ser orientado por ela no Doutorado da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e defendi minha tese no início de 2009. De lá pra cá, quase 50% de tudo o que produzi academicamente foi em parceria com ela. Em 2008 fui indicado por ela para participar de uma mesa redonda durante o Congresso Nacional de Botânica, em Natal (RN), onde tive a grande honra de dividir mesa com os maiores especialistas em Restingas do Brasil, o que considero um dos maiores desprendimento de Carmen Zickel como pesquisadora: ao invés de aceitar o convite, indicou um discípulo, o que é extremamente incomum no meio acadêmico. Isto demonstra um pouco do jeito de ser desta pesquisadora.

A UFRPE ganhou mais uma brilhante professora titular e nós, os seus discípulos, nos enchemos de orgulho. A conquista dela também é a conquista de cada um de nós. E como canta o Bono Vox: “... It’s a beautiful day / Don’t let it get away…”

Boa semana para todos (as).