Cidadeverde.com

Reflexões sobre o mundo pós-pandemia: a Tecnologia

Uma das coisas que mais se viu depois do início das atividades remotas, por ocasião da pandemia, foi o uso de ferramentas tecnológicas para o trabalho por home office. A grande maioria dos aplicativos para reuniões remotas, por exemplo, já eram conhecidos e usados (ocaso do Skype, por exemplo), mas alguns ganharam um uso mais frequente e novas versões foram surgindo para atendimento às demandas. Neste post vamos comentar sobre algumas ferramentas tecnológicas que vêm sendo usadas, especialmente para substituir atividades presenciais como reuniões corporativas e aulas.

O Google através do Programa Google for Education (em tradução livre, Google para Educação) popularizou o Google Classroom uma verdadeira sala de aula onde o professor pode postar aulas em vídeos ou podcasts, colocar atividades escritas e até avaliar suas turmas, com a opção de aulas gravadas ou aulas ao vivo, podendo ser acompanhado através do computador, tablet ou smartphones. Veja o vídeo institucional abaixo:

Outro exemplo que funciona muito bem é a plataforma Zoom Meetings. Trata-se de uma plataforma para videoconferências bem robusta que possui diversas funcionalidades, como compartilhamento de tela, gravação de webinars, acesso via telefone e upload de reuniões na nuvem. A Cisco também disponibilizou de modo gratuito o Webex Meet com funcionamento bem similar e que é acessado tanto pelo computador quanto por outras telas como tablets e smartphones. Nesta linha o próprio Google também lançou o Google Meet que ficou integrado para quem usa contas de e-mail do Gmail. Com o funcionamento bem simples, requer apenas que se coloque o e-mail dos participantes que, de forma automática recebem o link para reunião. Se a internet for rápida, para estes três exemplos citados qualquer palestra, aula ou reunião transcorrerá com tranquilidade.

A Rede Nacional de Pesquisa, RNP, também aperfeiçoou o seu sistema de webconferências que funciona muito bem. Este sistema está sendo adotado por várias universidades para continuidade das aulas e das defesas públicas de Mestrado e Doutorado. A sala virtual da RNP aceita até 75 pessoas para os professores e estudantes que pertencem a Comunidade Acadêmica Federada – CAFe. A sala virtual tem recursos interessantes como a possibilidade de constituir salas paralelas para reuniões fechadas (bastante necessária para as reuniões das bancas de pós-graduação) e a possibilidade de gravação da sessão pública ou da reunião.

Pelo sim pelo não, a pandemia nos obrigou a experimentar outras formas de trabalhar desta vez de modo remoto. Fica bem claro que, a partir do final deste período raramente um pesquisador deixará um estado para participação em bancas de Mestrado ou Doutorado em outro Estado, por exemplo. O uso destas alternativas pode selar um novo período em que as coisas podem melhorar inclusive em qualidade, dado que as fronteiras e dificuldades existentes podem ter ruído completamente.

Os governos, por exemplo, produziam reuniões com profissionais de entes federados distantes, deslocando muitas pessoas e lotando companhias aéreas e hotéis para realização de reuniões que às vezes duravam somente um dia. Todas estas despesas podem ser revistas, especialmente nestes casos e para países como o nosso, cuja extensão geográfica e a relação com a malha aérea seriam impeditivos e complicadores. Fiz muitas destas viagens de “bate e volta” que eram bastante cansativas, em situações que, pela necessidade do isolamento social, passaram a ser feitas de modo remoto, sem qualquer perda da qualidade e do objeto, como nos casos das bancas as quais me referi.

A tecnologia tem sido um meio de tentar amenizar os impactos promovidos por este caos gerado pela doença. O tédio de ficar isolado sem poder sair de casa encontrou algum abrigo nas possibilidades de viajar através da rede mundial de computadores, de ler, de assistir filmes, vídeos, shows etc. Pior seria se a tecnologia não preenchesse alguns destes espaços.

Boa semana!!!