Cidadeverde.com

Mestrados profissionais: uma experiência exitosa no Brasil

Apesar de falas controversas de autoridades governamentais contra as universidades e o desenvolvimento da ciência no Brasil, apontamos a existência de experiências exitosas originadas de programas que visam tentar sanar deficiências na educação.

A deficiência da educação brasileira tem causa multifatorial. Há desde o desestímulo provocado pelos baixos salários até a inexistência de uma carreira de estado (o mesmo para o segmento privado) que não atrai novos profissionais, até condições de trabalho totalmente inadequadas, apesar dos vultosos recursos aplicados na educação brasileira, de uma forma geral.

Um dos problemas identificados, por ocasião dos planos nacionais de educação é a formação inadequada ou a necessidade premente de uma formação continuada para tornar as aulas mais atrativas, visando contribuir para um quadro de maior zelo da estudantada por uma condição maior de aprendizado. Uma das alternativas que surgiu foi o aparecimento dos cursos de Mestrado Profissional em áreas de Licenciaturas, que vem motivando os profissionais a retornarem para o ambiente universitário para uma reciclagem e aperfeiçoamento de métodos de abordagem para aplicarem, de imediato, nas suas próprias salas de aula.

Estes cursos foram regulamentados pela Portaria MEC nº 389/2017 que definiu como objetivos para Mestrado e Doutorados Profissionais: I - capacitar profissionais qualificados para o exercício da prática profissional avançada e transformadora de procedimentos, visando atender demandas sociais, organizacionais ou profissionais e do mercado de trabalho; II - transferir conhecimento para a sociedade, atendendo demandas específicas e de arranjos produtivos com vistas ao desenvolvimento nacional, regional ou local; III - promover a articulação integrada da formação profissional com entidades demandantes de naturezas diversas, visando melhorar a eficácia e a eficiência das organizações públicas e privadas por meio da solução de problemas e geração e aplicação de processos de inovação apropriados; e IV - contribuir para agregar competitividade e aumentar a produtividade em empresas, organizações públicas e privadas.

Atualmente existem 12 cursos no chamado PROEB – Programa de Mestrado Profissional para Professores da Educação Básica, contemplando as disciplinas de Letras (ProfLetras), Matemática (ProfMat), Biologia (ProfBIO), Física (ProFis), Química (ProfQUI), Artes (ProfArtes), Filosofia (Profilo), Sociologia (ProfSocio), Educação Física (ProEF), Ciências Ambientais (ProfCiamb) e Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua). Importante destacar que instituições privadas oferecem Mestrados Profissionais em outras áreas, pois a estrutura dos cursos chamados Profissionais, lidam com aplicação direta do que é essencial para as profissões, servindo para tornar os profissionais mais aquilatados na área que escolheram como profissão. Áreas como Administração, Direito, Economia, Comunicação e Marketing também são contempladas, dentre outras.

Aqui no Piauí, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) se destaca na oferta dos Mestrados Profissionais em Letras, Matemática e Biologia. Atuei por três anos no PROFBIO que a UESPI mantém em parceria com mais 17 universidades do Brasil, capitaneadas pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. O PROFBIO da UESPI é um dos mais concorridos do Brasil. De uma forma geral o Programa oferece 500 vagas para todo o Brasil, sendo que os candidatos precisam ser professores de Biologia atuando em sala de aula, nas redes públicas estadual ou federal.

O PROFBIO/UESPI congrega atualmente 21 professores de diferentes Centros da Universidade, com destaque para profissionais do Centro de Ciências da Natureza (CCN) e do Centro de Ciências da Saúde (CCS), além de professores lotados em Centros das cidades do interior como Campo Maior, Parnaíba e Picos. O PROFBIO/UESPI já formou 20 mestres sendo 18 da primeira turma, encerrada em 2019 e 2 da segunda turma, que se encerra em outubro, em razão da pandemia, e tem 27 estudantes no total. A terceira turma, iniciada em 2020, funciona com 29 mestrandos. Os trabalhos de conclusão de Mestrado abrangem as nuances de como se ensinar diferentes áreas das ciências biológicas como Botânica, Citologia, Genética e Ecologia, por exemplo.

O curso PROFBIO da UESPI tem marcas muito interessantes: selecionou candidatos com as médias mais altas do Brasil, foi o curso que teve a primeira defesa dentre os 18 do Programa, e a sua média de acesso tem sido a maior do país, desde a primeira turma, resultado de uma elevada e qualificada concorrência de profissionais da área das Ciências Biológicas, além de um represamento de profissionais, pois este é o primeiro curso de pós-graduação Stricto Sensu voltado para área de Ciências Biológicas no Piauí. O PROFBIO/UESPI é coordenado pelas Doutoras Francisca Lúcia de Lima e Francielle Aline Martins e atende a estudantes (na verdade professores de Biologia) dos Estados do Piauí, Maranhão, Ceará e Pernambuco.

Boa semana para todos (as)!!!