Cidadeverde.com

Reflexões sobre a vida pós-pandemia

Dia desses conversávamos sobre alguns hábitos que adquirimos depois que a pandemia começou. E hoje resolvi falar um pouco de algumas mudanças que vieram para ficar por um tempo longo. Vejamos:

Proteção contra contaminação

Basicamente o que tem nos ajudado são os cuidados que temos com o uso de máscaras e álcool gel, além do distanciamento social. Creio que a máscara ainda usaremos por algum tempo e o cuidado em estar sempre higienizando as mãos também. Querendo ou não nos conferem algum tipo de proteção. Estava observando que, anualmente, contraía a gripe comum (Influenza) e desde 2019 não sei o que é isso. Na verdade, os cuidados que nos previnem da COVID-19 também nos protegem da H1N1 e de outras síndromes respiratórias provocadas por vírus. Mesmo depois de vacinados não nos custará continuarmos a ideia de proteção.

Procura pela vacina

A vacina contra COVID-19 e suas variantes deve persistir por muitos anos, até a doença arrefecer. Falo da doença porque o agente etiológico – o SARS-CoV2, vai mudar muitas vezes. Toda vez o que vírus chega a um organismo está passivo de sofrer mutações. Claro que a grande maioria das “novas versões” não serão sempre para pior. Todavia, as variantes bem-sucedidas serão mais infectantes e podem ser ou não mais letais. Por isso, daqui pra frente, vamos precisar nos vacinar anualmente. É claro que a oferta de vacinas não será minguada como esta. Tivemos problemas com um governo negacionista subestimando o vírus e desacreditando na vacina. Creio que não serão gastos mais recursos com drogas que são inócuas para COVID19, embora sejam importantes para as doenças para as quais foram preconizadas.

Medicamentos antivirais

A ciência despertou para buscar alternativas medicamentosas contra o SARS-CoV2. Aposto que logo teremos medicamentos que podem influenciar na interrupção do ciclo viral. Não será um remédio para verme nem um antimalárico, como alguns médicos têm indicado. Acredito que muitos laboratórios correm para descobrir algo que seja de fato efetivo, na interrupção, ou pelo menos na atenuação do mecanismo infeccioso do SARS-CoV2.

Polarização política

Considero um dos piores momentos da história do Brasil, este que vivemos. Torço diuturnamente para que esta briga entre adoradores dê uma trégua e possamos ter alguma alternativa melhor, fora de qualquer um dos dois quadrados. É uma das poucas crenças que não nutro, de que neste sentido, dias melhores virão, infelizmente.

Boa semana para todos (as).