Cidadeverde.com

Médico piauiense lidera grupo que usa Inteligência Artificial no diagnóstico precoce de doenças

A Inteligência Artificial (IA ou AI, em inglês) já está no nosso cotidiano e a gente nem percebeu direito isso. Já observou a coincidência de quando você fala num assunto e assim que abre uma rede social aquele assunto aparece ali, na sua frente? Por exemplo: você está discutindo com amigos sobre o preço de passagens de avião. Aí você entra numa rede social e um ou dois cliques depois começam a surgir notícias ou ofertas sobre passagens de avião!

Na verdade, sensores do seu smartphone ouvem o que você diz ou o que pesquisa na internet. A integração de sua conta de e-mail e suas contas nas redes sociais conectam-se a uma Inteligência Artificial (IA) que junta as informações e as associa às suas necessidades e/ou desejos. As IAs são especialistas em detecção de padrões. Em associar imagens e compará-las. Agora existem hospitais e instituições médicas usando IAs para ajudar no diagnóstico precoce de doenças.

O médico piauiense Bruno Aragão, coordenador de Inovação do Grupo Fleury (SP), em entrevista para o Jornal Folha de São Paulo, mostrou os ganhos obtidos com o uso de IAs na rapidez para o diagnóstico de doenças ou quadros infecciosos usando imagens dos pacientes. A técnica foi desenvolvida em Israel e algumas entidades médicas já vinham testando como suporte ao diagnóstico feito por especialistas. A matéria foi publicada na Folha em 15 de abril e traz um apanhado das ações diagnósticas feitas na entidade com uso da IA.

Bruno Aragão Rocha (Esq.) quando esteve em palestra do Pint of Science em Teresina (2017) Fonte: F.S.Santos-Filho

Para Bruno Aragão, a IA nunca substituirá totalmente o diagnóstico feito por um médico, mas dada a quantidade de exames a serem laudados diariamente pelas equipes que trabalham no diagnóstico por imagens, seu suporte será sempre bem-vindo. Alguns exames chegam a ter sua análise concluída em até 15 minutos, o que já é considerado um grande avanço.

O médico Bruno Aragão já esteve em palestras em Teresina quando veio falar do uso de impressão 3D no planejamento de cirurgias. Atua na área de Radiologia e Inovação em instituições médicas em São Paulo.

 

Veja mais: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2022/04/inteligencia-artificial-ajuda-na-analise-de-exames-de-saude-em-ate-15-minutos.shtml