Cidadeverde.com

Pesquisador piauiense descobre eficácia de substância extraída da pele de anfíbio para tratamento cardiovascular

  • Daniel_Arcanjo1.jpg Arquivo pessoal / Imagens de Internet
  • Brachycephalus_ephippium2.jpg Arquivo pessoal / Imagens de Internet
  • Brachycephalus_ephippium.jpg Arquivo pessoal / Imagens de Internet

A perereca Brachycephalus ephippium, chamada popularmente de Pingo-de-Ouro, ainda vai dar muito o que falar. Este pequeno anfíbio da Floresta Atlântica apresenta uma secreção cutânea (da pele) tóxica rica em uma substância chamada BPP-Brachy NH2. Esta substância é um oligopeptídeo (com estrutura similar a proteínas) que foi testada e se provou muito eficiente no tratamento de doenças cardiovasculares.

O BPP é rico no aminoácido Prolina e apresentou ótimos resultados como vasorrelaxante, podendo no futuro ser usado como medicamento para controle da hipertensão. A ação do composto inibe a Enzima Conversora da Angiotensina I com alta eficiência, já tendo passado de modo eficiente por diferentes testes, tanto in vitro quanto in vivo (usando cobaias).

A pesquisa foi conduzida pelo Dr. Daniel Arcanjo, durante o seu Doutorado, orientado pelo Prof. Dr. José Roberto Leite, e abre uma perspectiva muito interessante. O BPP age de forma semelhante ao Captopril (que também é rica em Prolina), substância amplamente usada para controle da hipertensão e também extraída inicialmente desenvolvida a partir uma toxina, o veneno da cobra Bothrops jararaca, a Jararaca. Assim como o Captopril, o BPP pode transformar-se em um novo medicamento para controle de problemas cardiovasculares de modo mais eficaz e com maior custo-benefício.

Daniel Rufino Arcanjo é pesquisador vinculado a dois núcleos de pesquisa: o Núcleo de Pesquisa em Biodiversidade e Biotecnologia e o Núcleo de Pesquisa em Plantas Medicinais, ambos da Universidade Federal do Piauí. A pesquisa envolveu pesquisadores da UFPI, UESPI, UnB, USP-São Carlos, além de cientistas vinculados a universidades da Suíça, Portugal e Dinamarca.

O grupo de pesquisadores ligado a este trabalho publicou três artigos, incluindo um na Revista Plos One, comentando sobre os diferentes aspectos da ação do BPP. A pesquisa abre outra importante frente no combate a doenças cardiovasculares.

Daniel é mais um pesquisador radicado no Piauí que merece a atenção para que não faltem recursos para suas pesquisas. O seu histórico de resultados é bastante promissor, especialmente neste momento em que as atenções dos órgãos de fomento à pesquisa no Estado estão voltadas para o grande potencial na área de Biotecnologia.

Até o próximo post.