Cidadeverde.com

Antepassado de insetos, aranhas e camarões tinha cérebro mais simples, mas olhos complexos

Os artrópodes são os animais mais abundantes do planeta Terra. Este grupo compreende mais de um milhão de espécies, sendo que, aproximadamente 900 mil são insetos. Artrópodes compreendem insetos, aracnídeos, crustáceos, diplópodes e quilópodes.

Este grupo é considerado o mais bem-sucedido a ter se estabelecido na Terra, exatamente em função da sua grande diversidade, multiplicidade de habitats e número de indivíduos. Seus antepassados são de épocas remotas e são chamados genericamente de trilobitas, por terem o corpo dividido em três partes, similares à divisão dos insetos atuais que tem o corpo dividido em cabeça, tórax e abdome.

15 fósseis de um trilobita da espécie Kerygmachela kierkegaardi (em homenagem ao famoso filósofo Søren Kierkegaard) foi encontrado na Groelândia e tem revelado descobertas importantes. Na organização destes animais, conservados em rocha, foi possível constatar que tinham o cérebro mais simples do que os seus descendentes modernos. Entretanto, graças ao excelente processo de conservação dos fósseis, com idade calculada em 518 milhões de anos, foi possível constatar que já possuíam olhos com certo grau de complexidade o que lhes valia a possibilidade de formar imagens, ainda que rudimentares.

A descoberta foi importante porque, pelo que se sabia sobre o grupo, olhos complexos teriam se formado muito mais recentemente, resultado de um par de pernas que passou a ter a propriedade de perceber a presença de luz.

A ciência avança tentando entender o passado, especialmente para compreender o presente.

Até a próxima!