Cidadeverde.com

OCDE lançará relatório do PISA sobre estudantes imigrantes

O mundo assiste uma leva migratória sem precedentes nas últimas décadas. A fome, as guerras civis e a intolerância política e religiosa tem forçado muitas famílias - ou que sobraram delas a migrar do seu lugar de origem para outras nações.

O que se vê no noticiário são homens, mulheres e crianças com os poucos pertences que sobraram caminhando ou navegando para escapar e tentar continuar a viver, distante do seu lugar de nascimento. Mas por trás disso tudo cabe uma pergunta: como ficam os estudos das crianças?

Preocupada com esta relação a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), responsável pela organização e aplicação do Programme for International Student Assessment - PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, em tradução livre) lançará em Paris, no próximo dia 19 de março um relatório com o título "The Resilience of Students with an Immigrant Background: Factors that Shape Well-Being" (A resiliência de estudantes com antecedentes migrantes: fatores que geram o bem-estar, em tradução livre).

De acordo com dados da OCDE, com base no PISA de 2015, cerca de 25% dos estudantes de 15 anos de idade que prestaram o exame eram estrangeiros ou tinham pais estrangeiros, entendido pelos analistas como fruto do fluxo migratório que já ocorre, mas que encontra-se em aumento exponencial atualmente. O relatório aborda aspectos acadêmicos, sociais e emocionais, servindo como um importante indicador dos reflexos da leva migratória que ocorre em vários locais do mundo.

Podem ser espantosos e desastrosos para o futuro os resultados da intolerância que obriga famílias abandonarem suas origens. Um pesar e uma reflexão.

Até o próximo post...