Cidadeverde.com

Você já ouviu falar em Aprendizado STEM?

Stem, em inglês, quer dizer caule ou haste (que é também um tipo de caule). Mas você já tinha ouvido falar em aprendizado STEM. STEM, neste caso, são as letras iniciais de Science (Ciência), Technology (Tecnologia), Engineering (Engenharia) e Mathematics (Matemática).

Uma das preocupações dos educadores é com os profissionais que serão formados para o futuro. Se fizermos uma rápida retrospectiva é possível verificar que algumas profissões vão deixando de existir, enquanto outras vão sendo simplesmente criadas. E que tipo de estudante a escola deve formar?

Esta pergunta é perturbadora, tendo em vista que mexe com o futuro. Qual é o perfil de estudantes que deverá ser escolhido para atender “ao futuro”? Uma pergunta sem resposta sólida. Pelo menos por enquanto.

Uma das alternativas para tentar adequar formação de estudantes para problemas que ainda vão surgir é o STEM. Pensado na década de 1990 nos EUA a partir de um problema: como compatibilizar os imigrantes que chegavam ao país com o mercado de trabalho. Estavam chegando pessoas sem a qualificação necessária para ingresso no mercado de trabalho cada vez mais ávido por trabalhadores capazes de dominar alta tecnologia. A National Science Foundation - NSF (Fundação Nacional de Ciências, em tradução livre) é uma agência americana preocupada com o desenvolvimento de diferentes áreas das ciências, à exceção das Ciências Médicas. A NSF definiu normas para incentivar a formação de jovens nas diferentes áreas científicas, o que incluia as diretrizes para distribuição de bolsas de estudo.

O que era para ser um programa voltado para imigrantes terminou ganhando tons de um programa de educação governamental, incentivando estudantes a ingressarem em cursos de áreas científicas, matemática e engenharias. Passou a incentivar também o desenvolvimento da relação entre Ciências, Tecnologia, Engenharias e Matemática, ainda nas etapas da educação básica, incentivando professores a procurarem se aplicar em aulas que aproveitassem o lado mais criativo dos seus estudantes. Na gestão do Presidente Barack Obama o programa recebeu uma suplementação financeira, passando a chamar-se  de Parceria de Matemática e Ciência.

Agora escolas de várias locais do Mundo, inclusive no Brasil, estão buscando articular os fundamentos destas quatro áreas do conhecimento para estimular o conhecimento. É importante ressaltar que iniciativas que estimulem os jovens a usar suas inteligências e engenhosidades podem dar ao Mundo o que de fato precisa: pessoas melhores!

Até o próximo post...