Cidadeverde.com

Pelo Dia das Mães: a inspiradora história de Maria Mendeleeva

Na escola aprendemos algumas coisas dos feitos do cientista russo Dmitri Ivanovich Mendeleyev, especialmente a genialidade na construção da Tabela Periódica dos Elementos, importante marco do estudo da química.

Dmitri Mendeleyev

A Tabela Periódica é muito mais do que um arranjo gráfico de disposição das informações sobre os átomos que constituem todas as matérias encontradas na natureza. Muitos dos átomos dispostos, inclusive, foram resultado da pesquisa de vários químicos sendo, portanto, criação humana. A tabela organiza, mas da forma como foi construída permite a verificação de várias propriedades dos diferentes átomos, numa das mais bem engendradas criações científicas. Fica até difícil dizer se a Tabela foi inventada ou foi descoberta, dada a precisão com a qual se organizam os elementos químicos nela.

A genialidade de Mendeleyev foi posta à prova inclusive porque, na época em que organizou a Tabela muitos dos elementos químicos ainda não haviam sido sequer descobertos. Ele foi capaz, inclusive, de prevê a localização destes elementos, antes de serem descobertos, na Tabela Periódica.

A história de Mendeleyev é um exemplo para inspirar qualquer estudante que deseja trilhar pelos caminhos da pesquisa científica, mas o Ciência Viva hoje vai falar não deste grande cientista, mas de sua mãe, Dona Maria Dmitrievna Mendeleeva, pelo seu exemplo de uma grande mulher e de uma mãe exemplar.

Mendeleyev nasceu na cidade Tobolsk, na Sibéria, em 1834. Assim que nasceu, seu pai Ivan Mendeleev, que era diretor da escola local ficou cego e teve que se aposentar. Devido ao tamanho da família e a invalidez do pai, Maria Mendeleeva deixou os afazeres domésticos e foi trabalhar numa fábrica de vidros que pertencia a sua família. Pouco tempo depois duas tragédias se abateram sobre a família: a morte do pai de Mendeleyev e o incêndio que destruiu totalmente a fábrica de onde sua mãe tirava o sustento.

Maria Mendeleeva, preocupada com o futuro do filho mais novo, Dmitri, visto que os mais velhos já eram todos adultos, decidiu que ia levá-lo para completar os estudos. Com poucos recursos viajou para Moscou, cerca de 2000 km de carona levando Dmitri e a filha Elizabeth. Ao chegarem em Moscou o filho não foi aceito para estudar porque à época a universidade só recebia alunos da própria cidade. Sem desanimar, Maria rumou para São Peterburgo, por mais 600 km, para receber outro não.

Maria descobriu que o Diretor do Instituto Pedagógico Central de São Petesburgo, instituição que formava professores naquela região da Rússia, era amigo de seu marido e com muita luta, conseguiu que Mendeleyev fosse matriculado. Exaurida pela sua luta e longas viagens Maria faleceu em 1850, logo depois de ter descoberto que Dmitri fora admitido como aluno.

O exemplo de Maria Mendeleeva é o retrato de muitas mães que dão a própria vida pela garantia do futuro dos seus filhos. Esta não é uma particularidade das mães humanas, pois muitos animais sacrificam até a própria vida para garantir a sobrevivência e o sucesso evolutivo de seus rebentos. A maternidade é um inconteste milagre da natureza.

Feliz Dia das Mães!!!