Cidadeverde.com

Toxoplasma, gatos, ratos e pessoas

Criar animais domésticos ou domesticados é um hábito completamente sadio. O sentido de cuidar e de ter a companhia de cães e gatos parece tornar a vida de alguns bem melhor do que a solidão ou até mesmo a convivência com outras pessoas.

O que por vezes é muito estranho é o hábito compulsivo de adotar vários animais ao mesmo tempo, passando de um criador de animais a um acumulador, inclusive interferindo negativamente na qualidade de vida dada aos animais criados. A compulsividade leva pessoas a criar até centenas de animais, mudando completamente o sentido de sua vida.

Foi o que aconteceu com o casal Jack e Donna Wright. Eles entraram no Guinness Book como os maiores criadores de gatos do mundo, chegando a ter mais de 700 gatos em casa. A disponibilidade do casal em trocar sua vida normal por uma criação exagerada de gatos chamou a atenção de pesquisadores, assim como outro fato inusitado: ratos, contaminados com o agente infeccioso Toxoplasma gondii tornam-se extremamente impetuosos. Simplesmente perdem o medo dos seus predadores mais conhecidos: os gatos!

Mas o que o casal Wright tem em comum com ratos doentes de toxoplasmose? Cientistas descobriram que T. gondii, antes parasita exclusivo dos felinos contamina humanos pela alimentação ou pela pele. Por vezes, ele se instala em pequenos cistos na região da amígdala cerebral. Dentre os 8 mil genes, o T. gondii apresenta dois genes responsáveis pela produção da dopamina. A dopamina é um neurotransmissor responsável pelo sistema de compensação do corpo. Quando sentimos muito prazer, seja porque ingerimos um alimento saboroso ou porque estamos em relação sexual, é sinal de que a Dopamina está agindo sobre nosso corpo. O T. gondii estimula a produção de Dopamina no cérebro de humanos contaminados.

Um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Berkeley com ratos chegou a conclusões mais intrigantes: ratos contaminados com T. gondii mudaram completamente seu comportamento diante dos gatos. Passaram a ter um comportamento impetuoso, levando os cientistas a concluir que este discernimento estaria associado a um comportamento de zumbi, imposto pela infecção de toxoplasmose.

Ainda há muito o que se entender sobre alguns mistérios da natureza. Este comportamento em humanos e ratos contaminados com T.gondii nos leva a imaginar o quanto um simples microorganismo também utiliza de estratégias para sobreviver. Ao estimular humanos a sentir prazer com a criação de gatos, estimula à proliferação pelo aumento de hospedeiros definitivos. Ao estimular a coragem em ratos, aumenta a possibilidade de facilitar a vida dos gatos, que passam a se alimentar melhor.

Ainda existem muitas coisas a serem entendidas na natureza.