Cidadeverde.com

Projeto Memória do Jornalismo Piauiense

A pesquisa em acervos documentais é algo de grande complexidade, especialmente no Brasil. Em geral, os acervos em papel tendem a se desgastar com o tempo, mesmo que exista um cuidado especial com estes materiais. Por mais que as instituições estabeleçam normas de curadoria e acesso ao acervo, pela natureza dos próprios materiais, o risco do manuseio põe em xeque a possibilidade de uso, limitando as pesquisas com documentos e fontes antigas.

As dificuldades de conservação no material poderiam ser menores se recursos fossem dispensados para aquisição de equipamentos modernos que permitissem o registro destes materiais em meio digital. Existem no mercado potentes scanners e máquinas fotocopiadoras de última geração que podem transformar documentos de papel em arquivos em formato digital, permitindo um acesso pleno e às vezes até à distância, quando estes bancos de informação ficam disponíveis na rede mundial de computadores. Esta estratégia é utilizada nas grandes instituições de pesquisas em países desenvolvidos, protegendo verdadeiros tesouros bibliográficos como os muitos que se perderam no grande incêndio que praticamente liquidou o Museu Nacional há alguns dias atrás.

A pesquisadora piauiense, Dra. Ana Regina Rego, coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Jornalismo e Comunicação (NUJOC) ligado ao Departamento de Comunicação e ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Piauí (UFPI) coordena o Projeto Memória do Jornalismo Piauiense, cujo objetivo principal é subsidiar o acesso aos periódicos depositados no Arquivo Público de Teresina (Casa Anísio Brito), permitindo a preservação da memória e para contribuir com as pesquisas científicas na área de Comunicação, facilitando o acesso às fontes hemerográficas.

O projeto é resultado de uma parceria entre o NUJOC, a Casa Anísio Brito, o Programa de Educação Tutorial (PET) de História da UFPI, Núcleo de Pesquisa Documentação e Memória (NUPEM) da UFPI, e, o Núcleo de Pesquisa em História e Educação (NUPEHED) da UFPI, com financiamento da Universidade Federal do Piauí (UFPI), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), envolvendo atualmente 16 pesquisadores.

O Ciência Viva parabeniza a iniciativa da Dra. Ana Regina ao tempo em que convida o leitor para conhecer o acervo no endereço eletrônico http://memoriadojornalismopi.com.br/.

Até o próximo post...