Cidadeverde.com

Pesquisadores da UFPI desenvolvem aplicativos para proteção de animais

  • Curupira8.png Wedson Medeiros
  • Curupira7.png Wedson Medeiros
  • Curupira6.png Wedson Medeiros
  • Curupira5.png Wedson Medeiros
  • Curupira4.png Wedson Medeiros
  • Curupira2.png Wedson Medeiros
  • Curupira_3.png Wedson Medeiros
  • Curupira_1.png Wedson Medeiros

Curupira ou Caipora é um ente do folclore brasileiro responsável pela proteção das matas e de seus habitantes. Segundo o imaginário popular se trata de um homem de baixa estatura (se fosse na Irlanda seria chamado de gnomo), dos cabelos ruivos e com os pés virados para trás. Os contadores da lenda dizem que os pés para trás são exatamente para distrair os caçadores, em busca de suas pegadas.

Ao contrário do personagem do folclore que se esconde dos caçadores, pesquisadores da Universidade Federal do Piauí (UFPI) desenvolveram um aplicativo exatamente para expor os caçadores e pessoas que fazem maus tratos com animais. CURUPIRA é o nome do aplicativo desenvolvido por professores e estudantes da UFPI e que vai se integrar ao sistema de proteção da fauna brasileira, numa parceria entre a UFPI e o IBAMA.

A ideia surgiu a partir da disciplina de Educação Ambiental do Departamento de Biologia, por sugestão do Prof. Dr. Bruno Pralon. Sete estudantes orientados por Pralon e pelo Prof. Dr. Wedson Medeiros viabilizaram o desenvolvimento do aplicativo que foi desenvolvido para o Sistema Android e está em fase de registro. O aplicativo será gratuito e mantido a partir de parceria do IBAMA/PIAUÍ com o Departamento de Biologia da UFPI. "A partir do segundo semestre nós iremos converter o projeto do aplicativo em um projeto de extensão para viabilizar que vários discentes sejam envolvidos na manutenção e divulgação do aplicativo, gerando atividade/crédito de extensão para os discentes", destacou o professor Wedson Medeiros. Participaram do projeto CURUPIRA os discentes Daniele Tertulino, Nilton Teixeira, Joanara Oliveira, Pablo Oliveira e Luiza Ester Alves (Licenciatura em Ciências Biológicas - CCN/UFPI) além de Pedro Ivo Soares e Wellyson Vieira (Bacharelado em Computação, CCN/UFPI). 

O usuário poderá escolher o tipo de denúncia a ser feito: caça ou tráfico, no caso de animais silvestres ou maus tratos, no caso de qualquer tipo de animal. Em todas as telas há menus de ajuda com imagens para permitir maior facilidade de compreensão pelo usuário final. Existe também um tutorial para permitir que o usuário, em caso de dúvidas, saiba como fazer uso geral do programa. Uma das vantagens do CURUPIRA é o envio da geolocalização do crime, garantindo maior precisão na apuração de denúncias pelos órgãos ambientais. O usuário também pode enviar fotografias anexas das atividades ilegais contra a fauna. O aplicativo também funciona offline, pensando na realidade daquelas pessoas que residem em áreas cuja internet é instável e, nesses casos, quando o usuário é reconectado, o arquivo da denúncia salva pode ser enviada para o servidor de coleta da informação.

Uma grande vantagem do aplicativo será a economia que pode gerar aos órgãos ambientais. Atualmente o IBAMA conta com uma linha verde 0800 (ligação gratuita), cujo pagamento da ligação é imputado ao orçamento do Ministério do Meio Ambiente/IBAMA, acarretando um custo elevado de manutenção.

"A linha verde é imprescindível para manutenção das denúncias de crimes ambientais, dado que várias partes do país ainda não possuem acesso à internet, especialmente em áreas rurais. No entanto, o aplicativo CURUPIRA, se plenamente viabilizado, poderá gerar em uma economia de despesas relacionadas à linha verde, além de conferir precisão aos órgãos ambientais na apuração de denúncias, reduzindo despesas de deslocamentos", reiterou Medeiros.

Em maio próximo, o time desenvolvedor do aplicativo irá promover treinamento da equipe de apuração de crimes ambientais do IBAMA. A meta é ir preparando o órgão de fiscalização para melhor operacionalização do acolhimento de denúncias futuras via CURUPIRA.

É a tecnologia ajudando a preservar vidas! Parabéns aos envolvidos!