Cidadeverde.com

Com redução de funcionamento, donos de postos dizem que estão abrindo por "civilidade"

Os postos de combustíveis de Teresina pararam de funcionar durante a madrugada. A medida, que começou a valer desde segunda-feira (23) ,desagrada os empresários do setor, que afirmam ter prejuízo financeiro.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) regulamentou o horário de funcionamento dos postos de combustíveis em todo o país para, no mínimo, de segunda-feira a sábado, das 7h às 19h. 

No entanto, decreto municipal para combater a pandemia do novo coronavírus proibiu que os postos de combustíveis em Teresina funcionem entre 19h às 7h.  A ordem de fechamento causa prejuízo aos donos dos estabelecimentos. O presidente do Sindicato dos Postos Revendedores de Combustíveis do Piauí, Alexandre Valença, fez um desabafo ao Cidadeverde.com e disse que a categoria não está tendo retorno financeiro.

“A prefeitura de Teresina proibiu a abertura dos postos de 7 da noite até 7 da manhã. O movimento do posto caiu tanto que financeiramente não tem sentido mais nenhum posto abrir. Está  sendo mais uma questão de civilidade dos postos abrirem do que pra ter algum resultado financeiro. É mais por uma questão de não desbastecer os serviços essenciais como caminhão, ambulância, policia. Não tem retorno financeiro”, declarou.

Alexandre defende que a proibição de funcionamento dos postos na madrugada é “nociva” e não uma solução. Ele afirma que caminhoneiros estão sendo prejudicados com as proibições.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

“Os caminhoneiros que passam por Teresina estão sendo obrigados a pernoitar aqui, o que causa aglomeração nos pátios dos postos. Acredito que não deveria ser proibido”, critica.

O decreto municipal também fechou lojas de conveniência dos postos de combustíveis da capital. A medida também criticada pela categoria, que defende que bastava impedir o consumo interno.Alexandre Valença admite que a proibição está “doendo no bolso”.

“É medida equivocada fechar as lojas de conveniência. São verdadeiros mini mercados. Deveira ser enquadrado na categoria de mini mercado ou supermercado e proibindo o consumo interno nas lojas. O setor deseja que o prefeito libere o horário de funcionamento”, pede o sindicato. 

Decreto quer evitar contaminação

No anúncio do decreto o prefeito Firmino Filho disse que a a cidade precisa parar  para evitar a propagação do coronavírus.

“Vamos parar a cidade. Chegar ao seu mínimo. É um desafio e não é um desafio qualquer. Por onde esse vírus passou deixou um rastro de morte. Temos que ficar em casa. Nossa cidade nunca passou por nada parecido. Temos que fazer aquilo que é essencial com muita calma. Não podemos deixar o medo nos dominar e o pânico”, disse Firmino em vídeo publicado nas redes sociais.

Segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde, Teresina tem 8 casos confirmados de COVID-19.

 

Izabella Pimentel
[email protected]