Cidadeverde.com

Técnica de enfermagem com suspeita de reinfecção da covid critica preconceito

Foto: Arquivo pessoal 

A técnica de enfermagem Liubliana Freitas Vieira Borges, 31 anos, viveu em um mês duas quarentenas após dois diagnósticos positivos para a covid-19. Se for confirmado, ela será a primeira piauiense que teve a reinfecção da doença. A Secretaria Municipal de Saúde de Parnaíba investiga o caso.

Em sua rede social, Liubliana agradeceu as orações e criticou as pessoas preconceituosas que atacam quem contrai coronavírus. 

Ao falar com o portal Cidadeverde.com, Liubliana contou que em abril sentiu dores de cabeça e garganta e no dia 27 de abril realizou um teste rápido no laboratório do município de Parnaíba. Neste dia, o exame testou positivo. Ela informou que ficou de quarentena, fez tratamento com hidroxicloroquina e após o isolamento realizou dois novos exames: o rápido e o swab, que é o teste mais preciso que colhe material pelo nariz.

"Após a quarentena, os dois exames deram negativo e eu voltei a trabalhar normalmente e não sentia nada", contou a técnica de enfermagem que trabalha no Samu e Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Heda).

Ela relata que dias depois começou a ter tosse seca, dores de cabeça, coriza e dor no corpo. 

"Estava com uma sensação de febre e muita fraqueza", conta a técnica.

No dia 28 de maio, Liubliana realizou novo exame, o swab, e voltou a testar positivo. Ela contou que seu marido também testou positivo para a covid-19.

"Foi uma surpresa. Na primeira vez não achava que estava com a covid, eram dores suportáveis, na segunda vez eram sintomas bem típica do coronavírus", informou.

Nos dois diagnósticos, Liubliana contou que usou a cloroquina como tratamento. 

"Estou tranquila, tenho uma boa evolução do quadro da doença e sendo acompanhada por uma equipe preparada. Fisicamente estou bem, apenas a tosse que incomoda", disse a técnica de enfermagem. 

No estado do Amazonas há relato de um médico com diagnóstico de reinfecção da covid-19.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informa que não se tem certeza de que os pacientes que se recuperam da covid-19 ficam imunes a doença. 

Há estudos para verificar se a pessoa pode ser reinfectada por dois tipos de Sars-cov-2. Ainda não há conclusões. 

 

Flash Yala Sena
[email protected]