Cidadeverde.com

Venda de carro na OLX vira caso de Polícia: borracheiro acusa comerciante de golpe

Foto: Arquivo Pessoal

A venda de um carro por meio da OLX (plataforma digital para anúncio de classificados) virou caso de Polícia em Esperantina (188 km de Teresina). O vendedor alega que o comprador enviou um comprovante falso de pagamento. O comprador, por sua vez, nega e diz que fez a transferência por PIX. 

O vendedor foi identificado como Denes Flavio Mesquita Araújo, 42 anos, e negociou o veículo, por meio da OLX, com um homem identificado como Ricardo. No entanto, o veículo teria sido transferido para o  comerciante Gilson Silva dos Santos, 40 anos, em 28 de junho de 2022.

Denes alega que ficou certo de Ricardo fazer a transferência do veículo para sua conta. No entanto, teria enviado um comprovante falso por meio do WhatsApp e que, até o registro do BO, não havia sido feita nenhuma transferência para sua conta. 

Denes registrou um Boletim de Ocorrências e acusou Gilson dos crimes de estelionato e roubo na aquisição do veículo. E, devido ao Boletim, o automóvel acabou sendo apreendido no dia seguinte à venda na cidade de Cocal (129 km de Esperantina). 

O que diz a defesa do comerciante

Segundo o advogado de defesa do comerciante Gilson, os fatos narrados pelo antigo proprietário do veículo em questão destoam da realidade. Isso porque, segundo o advogado, Denes negociou o veículo com Ricardo e acordou o pagamento com ele. 

"Se Ricardo não transferiu o valor pago pelo veículo, enviando comprovante falso de transferência de valores, não tem cabimento ele está caluniando falsamente Gilson pelas redes sociais, acusando-o pelos crimes de estelionato e roubo do ve´piculo", alegou o advogado Francisco C. A. Santos. 

Por conta da situação, o comerciante Gilson prestou queixa crime contra Denes e cobra na Justiça por danos morais R$ 21.500,00 mais multa diária no valor de R$ 500 pela permanência de acusações impostas contra o comerciante em redes sociais, jornais, blogs e grupos de WhatsApp. 

 


Nataniel Lima
[email protected]